De olho no passado, descobrimos que foram os homens que inventaram a maquiagem. E até os barbudos arrasam no look. Duvida? Assista ao vídeo!

Com o lema “Faça amor, não a barba”, eles decidiram brincar com a masculinidade, colocar a barba de molho e soltar a imaginação fashionista com muita maquiagem masculina. O que vem a seguir? Um balde de água na cara dos puristas! Sim, a rapaziada trava agora uma guerra contra o preconceito, mostrando que não há mais nenhuma barreira entre os sexos. O time masculino quer transitar entre os dois mundos, mostrando que a beleza pode ser sui generis .

Leia também: Cinco maquiadoras transexuais que vão mudar sua vida

Maquiagem para reverenciar os mortos

Maquiagem masculina e feminina para o Dia dos Mortos
shutterstock
Maquiagem masculina e feminina para o Dia dos Mortos

Quem curte a famosa maquiagem masculina ou feminina de caveira e de flores que explodiu na moda atual e é usada em festas de Halloween e até mesmo em editorias de moda, não imagina que a sua origem está ligada ao hábito de guardar os crânios dos mortos como forma de carinho (reza a lenda que as memórias boas ficam guardadas). Então, os adeptos desse misticismo enfeitavam as cabeças com flores e muitos desenhos coloridos para comemorar a passagem do ente querido. É daí que vem o Dia dos Mortos – uma data superfeliz... Pelo menos no México!

Cara a tapa

No século 18, no Japão, quem encarnava os personagens femininos eram os homens do teatro Kabuki. Antes, porém, as encenações eram feitas pelas mulheres, mas o governo machista as impediu de subirem no palco. O jeito foi colocar os homens nos papéis das divas.

Essa arte de se transformar em mulher tem mais de 400 anos (na verdade, remete ao tempo das cavernas!) – e, nesse contexto, vale citar que até nas peças shakesperianas as moças não tinham vez.

Na atualidade, o que deveria ser comum, ainda é encarado com pudor. É o que acontece quando a gente esbarra por aí com um menino de barba e make glamouroso, brilhando no gloss e na purpurina. Para ilustrar o tamanho da hipocrisia, que tal dar um zap na banda Kiss , que estreou na cena hard em 1973? O quarteto abusava das pinturas faciais, do couro agarradinho e das plataformas imensas (até eu me desequilibraria num salto daqueles!), mas ninguém diz que a banda liderada por Gene Simons era formada por gays!

David Bowie imortalizou a make de raio e já recebeu homenagens de diversos artistas, como Lady Gaga
Reprodução
David Bowie imortalizou a make de raio e já recebeu homenagens de diversos artistas, como Lady Gaga

O Kiss passou para a história como transgressor, um misto de terror e de ficção científica. David Bowie foi outro ícone que ousou salpicar maquiagem na cara – e isso foi em1970. Ok, o tempo era de liberdade, de pura androgenia, mas isso foi há mais de quatro décadas! O famoso make de raio que foi feito para Aladdin Sane e copiadíssimo por músicos e editores de moda, transformou o Ziggy Stardust em persona cool.

Leia também: "Estou renascendo das cinzas, como uma fênix", conta a drag queen Paulette Pink

Leonardo Wenri, de 25 anos, é cabeleireiro e adepto do uso da maquiagem. Apaixonado por música e com gosto eclético (na sua line-up figuram estilos que vão do pop ao folk), ele avisa que não gosta de se restringir a meia dúzia de palavras. “Não entendo essa tendência como se fosse uma inspiração, mas, sim, como questão de liberdade”, diz. “Falar de maquiagem masculina pode soar estranho ou até mesmo um tabu, mas não há regras que obriguem os homens a ficarem longe da maquiagem. Entretanto, dentro do próprio movimento LGBT existem preconceitos referente aos meninos que usam make – e nos chamam de ‘afeminados’”, completa. Veja a make de Leonardo no vídeo abaixo: 


É claro que a vaidade não é uma exclusividade feminina. O homem contemporâneo se preocupa em se vestir bem, cuidar do cabelo e da pele. Mas nem todos eles concordam que bater um blush nas bochechas seja sinal de bem-estar (ainda que as maçãs do rosto levemente avermelhadas signifiquem saúde!). E é nesse caminho que o preconceito encontra passagem.

Maquiagem pode ser aderida por qualquer pessoa. Ela pode ajudar a esconder as olheiras daquele dia mal dormido, disfarçar as espinhas, dar um truque na oleosidade ou mesmo diminuir os poros e deixar a cútis mais atraente. Sem falar que esse recurso garante uma aparência mais jovem! Enfim, usar maquiagem não significa que você seja menos “alfa”. Hora de repensar os valores, meu bem! Beijos cor-de-rosa e até a próxima semana! Clique aqui para acompanhar a coluna de Pauelette Pink no iGay

    Leia tudo sobre: maquiagem
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.