Tamanho do texto

Acusado de espancar e deixar jovem gay em coma é preso, mas o tribunal da internet diz que a culpa é de quem quase perdeu a vida

Vocês lembram da história de Jefferson da Cruz , rapaz gay morador da Região Metropolitana do Recife que foi agredido brutalmente, ficando em coma por quase um mês e agora enfrenta dificuldades para falar e se locomover? Eis que na semana passada, finalmente, a polícia de Pernambuco prendeu Robson da Silva Alexandre, acusado pelo crime. Ele estava foragido desde dezembro do ano passado.

jefferson da cruz arrow-options
Arquivo pessoal
Jefferson da Cruz foi espancado até quase morrer em cidade de Pernambuco e passou um mês em coma


Relembre todo o caso de Jefferson da Cruz

Robson negou qualquer participação no crime à polícia. Ele vai responder na Justiça pelo crime de tentativa de homicídio, estupro com agravante de lesão corporal grave, além de roubo do celular da vítima.

Mesmo com o Ministério Público afirmando que foi clara a motivação homofóbica do crime, Robson não foi denunciado por homofobia, pois na época do ocorrido ainda não havia previsão legal para tipificar crimes LGBTfóbicos . Foi só no último dia 23 de maio que o Supremo Tribunal Federal formou maioria dos ministros para enquadrar a homofobia como um dos crimes de racismo.

Jefferson continua o tratamento em casa graças à uma vaquinha virtual que contou com quase 2 mil doadores e arrecadou R$ 123 mil. O rapaz de 23 anos só come por meio de sonda e respira com ajuda de uma traqueostomia. A dona de casa Etiene Feijó de Melo, mãe de Jeff, contou a jornais locais que recebeu a notícia da prisão aliviada, já que o acusado não poderia fazer mais nada de mal com outras pessoas.

E a culpa?

Indo um pouco além da notícia, vale comentar quão bizarras foram algumas postagens de internautas sobre o caso. Numa delas, uma garota falou que não poderíamos dizer que o crime era de motivação homofóbica, "pois se o agressor estava paquerando Jefferson (como afirmaram algumas vítimas), é porque ele era gay também e isso não era LGBTfobia". A leitora ainda veio falar que Jeff era culpado "por fazer charminho para o acusado".

E não foi só ela. Tiveram outros que escreveram que Jeff era o responsável pelo ocorrido por ser gay no interior do Brasil. Segundo eles, "em cidades pequenas, homossexuais devem ficar escondidos para não serem apontados e agredidos por homofóbicos e que Jeff não poderia estar na rua bebendo com os amigos".

Quer dizer que para não levar uma vida de mentiras, LGBTs devem todos se mudar para cidades grandes? São os gays e lésbicas que precisam mudar ou a sociedade deveria repensar nos seus conceitos? Acho que essa é a mesma galera que pensa como a ministra Damares e todos os outros que afirmam que "mulher não pode usar minissaia ou decote para não ser estuprada".

Manifestante LGBT carrega placa em Parada da Diversidade de Taquaritinga arrow-options
Mídia Ninja/Flickr
Recadinho para os conservadores e opressores


A gente está levando a culpa até quando não temos nada a ver com a história. Depois que dois tiroteios nos Estados Unidos (no Texas e em Ohio) resultaram em 32 mortes em menos de 24h no último fim de semana, uma congressista afirmou em suas redes sociais que a culpa dos ataques era dos homossexuais, transgêneros e drag queens.

Segundo Candice Keller, é aquela velha história de que relações homoafetivas destroem os valores da família tradicional norte-americana e é contra as leis da natureza, da Bíblia e blá blá blá. E que, em resumo, a falta de amor no mundo é por nossa culpa. Por sorte, o presidente do partido já pediu a demissão dela do cargo e grupos de moradores do estado de Ohio também estão na cola dessa seguidora dos bons costumes...

Na semana passada, o ex-apresentador Brito Jr. Mostrou todo seu conhecimento jornalístico para afirmar que os héteros hoje são minoria no mundo e que ele sofre preconceito por isso. No dia que ele for agredido por andar de mãos dadas com uma mulher no meio da rua, eu posso pensar em concordar com essa ideia de “mariconas vilanescas”.

São casos como esses que nos revoltam, mas ao mesmo tempo nos dão mais força e a certeza que a gente precisa lutar e discutir muito para mudar a cabecinha de minhoca dessa sociedade que só parece estar voltando no tempo...

Que o diga este tão falado "país do futuro" aí na América Latina, que elegeu para o cargo de presidente o homem que mais respeita os direitos humanos, a dor de pessoas que perderam seus entes queridos e que se acha muito engraçado fazendo piada do tamanho da cabeça dos nordestinos ou das genitálias dos asiáticos. Vamos acordar, galera!

Outros assuntos...

Modelo trans brasileira é o novo rosto da Victoria's Secret 

Modelo trans Valentina Sampaio, nova contratada da Victoria´s Secret   arrow-options
Reprodução/Instagram
Valentina é cearense e foi a primeira trans a estampar a capa da Vogue Paris

A brasileira Valentina Sampaio continua fazendo história no mundo da moda. A cearense de 22 anos foi a primeira modelo trans a ser capa da revista Vogue Paris (em 2017) e estampou seu rosto nas campanhas de grifes como Marc Jacobs, Balmain e L’Oréal. Na semana passada, ela foi contratada como a primeira mulher trans da Victoria´s Secret , marca conhecida pelas beldades Gisele Bündchen, Alessandra Ambrósio e as Kardashians.

Mas nem todo mundo recebeu a decisão progressista com alegria, claro. O chefe de marketing da marca de lingeries, Ed Razek, pediu demissão nesta semana. Ele já havia comentado anteriormente que a grife não deveria incluir transgêneros e nem modelos plus-size no seu elenco de beldades. Desculpa, Ed, a diversidade venceu!

Coca-Cola é vítima de boicote após camapnha pró-diversidade

Nem a gigante Coca-Cola escapou do ataque dos opressores. Após exibir uma série de propagandas para um festival de música na Hungria exaltando a diversidade sexual, com casais héteros e LGBTs. Políticos do partido conservador do país iniciaram um boicote e criou uma petição para que o prefeito e as empresas de transporte tirassem as propagandas.

Sempre com closes certos, a Coca-Cola - que vai lançar uma edição especial de sua latinha com as cores do arco-íris para o tal festival - reforçou em comunicado oficial o comprometimento com a diversidade: “Nós acreditamos que todas as pessoas têm direito ao afeto e ao amor; que o amor é igual para todos.” Agora você, caro leitor, olhe as imagens abaixo e me diga por que eles acharam a campanha ofensiva?

Imagens da campanha pró-diversidade da Coca-Cola para festival na Hungria arrow-options
Divulgação/Coca Cola
Se eles não podem conviver com imagens como essas, o que a gente pode fazer?


 Homem indenizado por exame de HIV errado

O governo de São Paulo foi condenado a pagar R$ 3 mil de indenização por danos morais a um rapaz diagnosticado erroneamente com o vírus HIV. uma perícia apontou que houve falha do Instituto Adolfo Lutz (do estado), que realizou o tal exame. Segundo a investigação, a clínica usou o sangue de outro paciente no diagnóstico. O resultado negativo só foi comprovado após o rapaz ter feito diversos outros testes numa clínica particular.

Bem-vindo ao Vale, Joshua

Ator Joshua Rush, do Disney Channel arrow-options
Divulgação/Disney
Astro também vive o primeiro personagem LGBT do Disney Channel

O astro teen da Disney Joshua Rush, de 17 anos, usou sua conta no Twitter para revelar sua sexualidade publicamente: "Eu sou bi [bissexual]. E agora que disse isto, tenho algumas coisas para acrescentar. (...) Ser bi não é toda a minha identidade, nem é a parte mais importante da minha identidade".

Na série juvenil Andi Mack, ele vive Cyrus, o primeiro personagem LGBTQ+ da emissora. “Eu vi muitos de vocês assistirem ao Cyrus, se assumirem e dizer ‘Ei! Eu posso ser eu!’. E o quão irônico era interpretar esse personagem e nunca ter tido essa coragem?”, desabafou.

Só falta a Damares e essa outra congressista norte-americana dizer que todos os novos adolescentes gays que saírem do armário agora nos Estados Unidos é por causa da Disney, que libera essa libertinagem entre seu elenco teen =x

Mais Paradas

A organização da 18ª Parada da Diversidade de Pernambuco anunciou o tema do desfile deste ano: "Ontem, hoje, sempre! Resistir para libertar!". O evento, o maior do Norte e Nordeste, acontecerá no dia 15 de setembro na orla da praia de Boa Viagem, a mais famosa do Recife, com concentração a partir das 11h no Parque Dona Lindu.

Já a 24ª edição da Parada do Orgulho LGBTQIA+ do Rio de Janeiro finalmente anunciou sua data. Será no domingo 22 de setembro, com concentração às 11h no Posto 6 da orla de Copacabana (Av. Atlântica, 4240), conhecido point LGBT da Cidade Maravilhosa.