Tamanho do texto

Série de vídeos Sobre Vivência mostra personagens diversos contando experiências e o processo de inserção na sociedade

No mês em que celebramos o  Orgulho LGBTQIA+ , muita gente dentro da própria comunidade não sabe o significado de cada uma dessas letras. Alguns, dizem que os ativistas só fazem complicar, aumentando cada vez mais a sigla. Mas dentro de um mesmo movimento, seguimos na luta pelos direitos e pela visibilidade. Visibilidade de cada um desses grupos.

Leia também: Criminalização da homofobia: por que é racismo e a igreja não pode nos atacar?

apresentador Caio Braz
Instagram/Reprodução
Apresentador Caio Braz é um dos entrevistados da série SOBRE VIVÊNCIA

Lésbicas, gays, bissexuais, trangêneros e travestis, queers, intersexuais, asexuais, aliados, entre tantos outros. Cada um com suas particularidades, anseios e o desejo de serem notados, respeitados. Para mergulhar mais nesse universo, a gente resolveu indicar para este fim de semana prolongado, parar um pouquinho e conferir a  série Sobre Vivência , da Plataforma Gente.

Além de explicarem os termos, cada um dos entrevistados conta experiências próprias e debatem como suas atitudes podem interferir na sociedade quando o assunto é aceitação. O quanto é importante você nunca negar sua essência. Em oito episódios (três deles ainda vão ao ar), os LGBTQIA+ contam como foi o processo de aceitação e de inserção na sociedade deste país, que ainda é o que mais mata LGBTs no mundo.

Vale a pena ver, rever e refletir no http://gente.globosat.com.br/sobre-vivencia/

ASSISTA A UM DOS EPISÓDIOS 

TRANSGÊNEROS E TRAVESTIS 

NOME SOCIAL

A Mastercard anunciou que vai permitir que clientes  transgêneros  e não binários usem o nome social em seus cartões. Estudo da empresa mostrou que mais de 30% dos clientes que apresentam cartões com nomes que não correspondem ao gênero passam por algum tipo de situação vexatória. Bacana ver que cada vez mais empresas se preocupam com o respeito aos clientes LGBTs. 

Leia também: Pattaya: conheça a cidade que recebe o Circuit Gay Festival da Ásia

INVISIBILIDADE

Somente 19% dos bissexuais estão fora do armário. Pelo menos é o que aponta um estudo da Universidade de Stanford (Reino Unido). Quando se fala de gays e lésbicas, esse número sobe para 75% assumidos.

A pesquisa revela que 26% dos bis entrevistados declararam que absolutamente ninguém sabe de sua orientação sexual, nem mesmo os melhores amigos. Esse número cai para 4% entre gays e lésbicas. Os dados só vêm a confirmar a invisibilidade e a bifobia que os bissexuais sofrem dentro e fora da comunidade LGBTQI+. 

Giovanna Ewbank, Titi e Bruno Gagliasso
Twitter/Reprodução
Pais da aniversariante informaram que convidados poderiam se vestir como quisessem

CONVITE FOFO

Titi - filha de Bruno Gaglisso e Giovana Ewbank - completou seis anos nesta semana. Mas o que chamou atenção mesmo foi o convite para a festa, que teve como tema as princesas da Disney. Nele, o dress code estava assim especificado: “Meninos podem ir de princesa, e as meninas de príncipe. É livre“. Que sortuda essa Titi, com pais tão bacanas! #Orgulho 

FABULOSOS

A Netflix anunciou que o badalado reality Queer eye foi renovado para mais duas temporadas, com o mesmo elenco de apresentadores: Jonathan Van Ness, Karamo Brown, Bobby Berk, Tan France e Antoni Porowski. A quarta temporada vai estrear no dia 19 de julho. Já as gravações do quinto ano se iniciam nas próximas semanas. 

pastor Carl Lentz, da igreja do cantor Justin Bieber
Youtube/Reprodução
Pastor Carl Lentz: "Jesus nunca condenou os homossexuais"


JESUS E OS LGBTS

Líder da igreja ‘hipster’ de Nova Iorque, frequentada pelo astro Justin Bieber, o pastor Carl Lentz disse em entrevista que Jesus Cristo nunca condenou os LGBTs. "Jesus viveu em uma época onde homossexuais também existiam e que ele jamais iria condenar uma pessoa por sua homossexualidade". Para Lentz, a prova disso é que não há nenhuma passagem da Bíblia que Jesus tenha falado para condenar gays.

Leia também: Mais de 1 milhão de pessoas contraem ISTs por dia, diz OMS

PRIMEIRO DIVÓRCIO

Apenas três semanas depois de se tornar o primeiro país da Ásia a legalizar o casamento homoafetivo, Taiwan já teve seu primeiro "divórcio gay". O casal em questão oficializou a união logo no primeiro dia em que a lei entrou em vigor. A justificativa para o cancelamento foi que eles eram jovens demais e que as famílias se opuseram ao casamento.