Tamanho do texto

André Pomba é colunista do iGay e escreve sobre cultura e o mundo LGBT. Dessa vez, ele comemora o Dia do Orgulho LGBT com um pouco de história

Na década de 60, nos Estados Unidos, a comunidade LGBT era constantemente reprimida e até presa sem razão. Na noite do dia 28 de junho de 1969, contudo, algo diferente ocorreu: os usuários de um bar LGBT em Nova York, Stonewall Inn, resistiram à prisão, e a polícia perdeu o controle da batida. Uma multidão se reuniu na rua, em frente ao bar, encurralando a polícia dentro do mesmo. A tropa de choque foi convocada, e o cenário virou uma praça de guerra, com confrontos violentos que duraram por seis dias.

Leia também: Museu da Diversidade Sexual abre a Mostra Diversa 2017 com 17 novos artistas

Jovem sendo preso pela polícia durante a Revolta de Stonewall
Reprodução
Jovem sendo preso pela polícia durante a Revolta de Stonewall


Ao buscar referências históricas mais específicas sobre o que motivara as batidas policiais mais rigorosas naquele ano de 1969, chega-se aos reais motivos sobre o que motivou a revolta de Stonewall . 1969 era ano de eleição para prefeito em Nova York e todos queriam mostrar serviço. Citando leis de comportamento absurdas, a State Liquor Authority (que dá as licenças para vendas de álcool na cidade) decidiu que os bares que atendiam clientes abertamente homossexuais não tinham direito a licenças para venda bebidas alcoólicas.

Isso acabou gerando uma situação de ilegalidade. Como havia denúncias que alguns bares gays continuavam vendendo álcool subornando a polícia do bairro de Village (tradicional point gay de NY), incluindo denúncias de vendas de bebidas falsificadas pela máfia, um inspetor adjunto do Departamento de Polícia, Seymour Pine, e outros oficiais, realizaram uma ação sem o conhecimento dos policiais locais, de quem eles suspeitavam envolvimento com a Mafia na Vila.

Detalhes da operação e da revolta

Os frequentadores do bar em questão eram principalmente adolescentes mais periféricos de Queens, Long Island e Nova Jersey, com algumas jovens drag queens e jovens sem-teto que ocupavam casas abandonadas no Lower East Side. A batida iniciada na noite do dia 27 de junho, acabou gerando uma grande curiosidade na região.

Do outro lado da rua, uma multidão de talvez 100 pessoas estava assistindo à polícia fichar uma dúzia de funcionários e clientes do bar. Os jovens funcionários, ao sair para serem presos, começaram a sorrir e acenar para a multidão.

Multidão revoltada enfrenta a polícia em frente ao bar Stonewall
Reprodução
Multidão revoltada enfrenta a polícia em frente ao bar Stonewall

Eram 2h da madrugada do dia 28 de junho. Irritados pela irônica reação, os policiais começaram a empurrá-los violentamente com seus cacetetes. Pessoas na multidão gritaram para que a polícia parasse. Os oficiais responderam, dizendo-lhes para sairem da rua. Alguém começou a lançar pedras e a balançar o camburão. Então, da parte de trás da multidão, latas de cerveja e garrafas voaram pelo ar. Começaram a voar moedas e detritos de rua, o que fez com que os oficiais recuassem para dentro do bar, trancando as portas atrás deles.

Aí a coisa começou a sair do controle. A multidão enfurecida começou a atirar pedras nas janelas do bar. Um medidor de estacionamento foi usado para tentar abrir as portas do clube. Alguém colocou fogo em um punhado de jornal e jogou-o através da janela quebrada do bar, começando um pequeno incêndio. Os policiais dentro da Stonewall apagaram usando uma mangueira de incêndio, que eles então passaram a jogar água contra a multidão. E o resto desse inédito confronto virou história.

Leia também: É Parada LGBT ou Parada Gay? É carnaval ou protesto?

Resultado da revolta

A fachada do bar Stonewall alguns dias após a revolta
Reprodução
A fachada do bar Stonewall alguns dias após a revolta

Vários anos mais passariam antes que os primeiros clubes com proprietários abertamente gay fossem licenciados - lugares como o Ballroom no West Broadway e Reno Sweeney no West 13th Street. Seria necessário mais alguns anos antes que grandes figuras políticas de Nova York saíssem a favor de leis antidiscriminação, e muito mais tempo antes de outros direitos dos homossexuais serem realizados.

A revolta de Stonewall, como ficaram conhecidos os seis dias de confronto com a polícia, marcou o momento da virada do movimento pelos direitos homossexuais nos Estados Unidos e em todo o mundo. Em 2017, esta manifestação social completa 48 anos de luta, de determinação buscando uma igualdade em direitos. E devemos comemorar os muitos que já conquistamos, por isso, o dia 28 de junho é considerado o Dia do Orgulho LGBT .

Essa matéria se baseou no texto do jornalista Lucian K. Truscott IV, autor de "Dress Gray", que estava lá em Stonewall nesses fatídicos dias, para o jornal  "The NY Times". Para saber mais sobre música e e cultura, clique aqui e acompanhe a coluna do Pomba no iGay

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.