Tamanho do texto

Uma congregação de Austin, no Texas, fez questão de demonstrar carinho e apoio durante a Parada LGBT aos jovens que sofreram rejeição dos familiares

A Parada LGBT é sobre expressar o orgulho de pertencer a comunidade e poder ser quem é, mas também celebra o amor em todas as suas formas. Foi o que a escritora cristã Jen Hatmaker fez, ao lado de outros evangélicos de sua congregação, conhecida como Austin New Church, distribuindo abraços na Parada da cidade do Texas (Estados Unidos), que aconteceu no começo de agosto, de acordo com o site “Bored Panda”.

Leia também: Muçulmanos aceitam mais homossexualidade do que evangélicos, diz pesquisa

Jen Hatmaker fez uma publicação no Instagram contando a ação dos evangélicos na Parada LGBT de Austin, no Texas
Reprodução/Instagram
Jen Hatmaker fez uma publicação no Instagram contando a ação dos evangélicos na Parada LGBT de Austin, no Texas


Em seu perfil no Instagram, Jen publicou fotos tocantes da participação dos evangélicos na Parada LGBT de Austin. “Minha amada igreja compareceu à Parada do Orgulho e distribuiu  abraços gratuitos . E quando digo abraço, quero dizer abraços de verdade!”, conta.

“Nossos braços nunca ficavam vazios. Abraçamos inúmeras pessoas, inúmeras vezes. Era só alguém reparar em nossas camisetas que a pessoa vinha correndo na nossa direção”, explica no post acompanhado de fotos do grupo com roupas escritas “abraços gratuitos”.

A post shared by Jen Hatmaker (@jenhatmaker) on


Segundo a escritora, muitas pessoas que queriam ser abraçadas revelaram sofrimento com relação a rejeição da família. Ela conta algumas das frases que ouviu: “Sinto falta disso”, “Minha mãe não me ama mais”, “Meu pai não fala comigo há três anos”, “Por favor, só mais um abraço”. “Respondemos que eles são, sim, amados e valiosos. Foi por isso que fomos”, afirma a mulher.

Essa não é a primeira vez que Jen demonstra apoio a comunidade LGBT. Em 2016, ela apareceu no “Religion News Service”, afirmando que o casamento entre pessoas do mesmo sexo deveria ser oficializado pela Igreja.

Leia também: Mães que têm preconceito estão perdendo, afirma mãe de jovem lésbica

A inspiração para a ação dos evangélicos

A inspiração para a ação dos evangélicos na Parada de Austin foi Sara Cunningham, que fundou o
Reprodução/Facebook/Free Mom Hugs
A inspiração para a ação dos evangélicos na Parada de Austin foi Sara Cunningham, que fundou o "Free Mom Hugs"


A inspiração por trás dos abraços gratuitos veio, na verdade, de Sara Cunningham, uma escritora de Oklahoma. Sara é uma mulher religiosa, que mora em uma cidade conservadora e sofreu quando o filho revelou sua sexualidade. “Eu tive que escolher entre meu filho e minha fé”, disse ela, ao canal “CBS”.

A perspectiva de Sara mudou após uma conversa sincera com o herdeiro, que revelou que tinha encontrado um parceiro e pediu para que ela ficasse calma com relação a isso. Demorou um tempo, mas com mais conhecimento sobre o assunto, a mãe e o marido aceitaram e até começaram a comparecer nos eventos do orgulho LGBT.

Através de sua própria transformação, ela diz que percebeu que muitos filhos sofriam rejeição da família e, em 2015, decidiu fazer uma publicação no Facebook se voluntariando para o “serviço de mãe” para os LGBTs que não foram aceitos pelos familiares.

Leia também: Filho gay dá recado a todas as mães: "Amem e aceitem seus filhos"

A publicação de Sara viralizou e foi pretexto para a criação da organização “Free Mom Hugs” (“abraços gratuitos de mães”, em tradução livre). De acordo com o site oficial, os membros da organização comparecem a eventos oferecendo abraços e apoio aos LGBTs, assim como feito pelos evangélicos no Texas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.