Tamanho do texto

Além de ser expulsa da universidade, a estudante transgênero também corre o risco de ser excomungada e proibida de participar de atividades da igreja

Uma estudante transgênero, de Utah (Estados Unidos), corre o risco de ser expulsa de sua universidade se optar por realizar a mastectomia masculinizadora, também conhecida como a cirurgia de remoção dos seios . A universidade é cristã e filiada aos mórmons, um grupo de religiosos norte-americanos.

Após casar com Nate (esquerda) e ficar grávida de Toby (centro), Kris (direita) se assumiu transgênero e pode ser expulsa
Reprodução/Facebook/Kris Trevino Irvin
Após casar com Nate (esquerda) e ficar grávida de Toby (centro), Kris (direita) se assumiu transgênero e pode ser expulsa


De acordo com informações do jornal local “Salt Lake Tribune”, Kris Irvin começou a estudar na universidade cristã Brigham Young University antes de começar a entender a própria identidade de gênero. Irvin se identifica como homem transgênero , mas ainda prefere ser tratada poe pronomes femininos. Ao descobrir sua identidade de gênero e sua intenção de realizar a operação, porém, o bispo da universidade ameaçou-a de expulsão.

Irvin começou os estudos na universidade pela primeira vez em 2004. Ela acabou desistindo dos estudos, ficou noiva e  engravidou do filho Toby, ao lado do parceiro Nate. Em 2014, ela retornou à BYU, tornando-se novamente parte da igreja , e passou a entrar em contato e se identificar com a comunidade trans.

Até então, ela não havia experimentado nenhum tipo de preconceito dos estudantes da universidade, mas notou que não havia um tipo de regulamento da instituição com relação ao assunto. “Às vezes a sala de aula era um lugar de apoio, às vezes não”, afirma Irvin sobre a ausência de regras em defesa do direito da pessoas trans.

O conflito do estudante transgênero com o bispo da universidade

Kris Irvin (à direita) entendeu sua identidade transgênero anos após ficar grávida do filho Toby (à esquerda)
Reprodução
Kris Irvin (à direita) entendeu sua identidade transgênero anos após ficar grávida do filho Toby (à esquerda)


Segundo informações do veículo, o bispo da universidade fez a ameaça após descobrir a intenção de Irvin de realizar a mastectomia através de uma página no site “Go Fund Me” de vaquinha online , que estava arrecadando fundos para que ele pudesse concretizar os planos.

Muito perto de concluir a graduação, a estudante argumenta que não tem interesse em realizar a cirurgia de redesignação sexual e que a mastectomia não vai alterar seu sexo. “Até que ponto os meus seios determinam se eu posso participar ou não da igreja?”, questiona, em carta para o religioso. 

O bispo respondeu afirmando que nenhuma cirurgia pode trazer paz e conforto na vida. Além de ser expulsa da universidade, a estudante transgênero também corre o risco de ser excomungada e ser proibida de participar de atividades da igreja.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.