Tamanho do texto

"Só porque tenho um pênis não significa que não posso usar vestido", diz Leo

Uma “ drag kid ” (“criança drag”, em tradução livre) sempre chama atenção pela segurança que tem. Esse é o caso de Violet Vixen, uma drag queen britânica de 11 anos de idade , que apareceu esbanjando autoconfiança no programa “Loose Women”, da emissora “ITV”.

Aos 11 anos de idade, Violet Vixen é uma drag queen que esbanja autoconfiança e responde comentários ofensivos
Reprodução/Facebook/11yearolddragqueen
Aos 11 anos de idade, Violet Vixen é uma drag queen que esbanja autoconfiança e responde comentários ofensivos


Violet Vixen é o nome artístico de Leo Noake, um garoto que mora no condado inglês de Leicestershire. Usando meia-calça e salto alto, ele revela que se vestir de drag queen faz ele ter mais autoconfiança. “Ser drag faz eu me sentir mais como eu mesmo”, afirma Leo .

De acordo com a sua mãe, Leanne, Leo não é transgênero, e seu interesse pela arte drag não tem relação com a sua identidade de gênero. “Ele é muito aberto para conversar e tem o costume de dizer: ‘Eu sou um garoto, eu gosto de ser um garoto. Só porque eu tenho um pênis não significa que eu não posso usar um vestido’. Ele quer mostrar que não tem problema ser diferente. Isso que me ensinou”, diz a mãe.

A aparição de Leo no programa causou grande  repercussão nas redes sociais e o garoto logo conquistou a admiração dos telespectadores, que disseram que ele estava incrível e elogiaram Leanne por aceitar o filho.

A história da drag queen de 11 anos de idade

A drag queen já tinha interesse por vestidos e saltos altos desde quando era uma criança aprendendo a andar
Reprodução/Facebook/11yearolddragqueen
A drag queen já tinha interesse por vestidos e saltos altos desde quando era uma criança aprendendo a andar


A mãe de Leo conta que a paixão do menino por ser drag começou quando ele ainda estava aprendendo a andar. Na época, ela lembra de ver o herdeiro pegando as roupas da irmã emprestada e diz que, mesmo com o passar do tempo, o menino não deixou de ser “afeminado”, pois sempre quis usar vestidos e saltos altos.

A mãe ficava preocupada com os gostos do filho, já que ele sofria bullying na escola. Ela, por ser uma mãe solteira, achava que essa era a razão de o filho ter tais interesses. Mas a paixão de Leo continuou mesmo após Leanne encontrar um parceiro.

A mulher até chegou a jogar as roupas femininas fora e procurou encorajar o filho a gostar de coisas relacionadas ao universo masculino. Leo desenvolveu um interesse por carros, mas não adiantou porque logo voltou a  se montar de drag queen,  ao se deparar com o reality “Rupaul’s Drag Race”. Atualmente, o garoto lida com o bullying e tenta combater o preconceito.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.