Tamanho do texto

Dados de uma pesquisa britânica apontam que, por ano, cerca de 300 crianças trans buscam tratamento hormonal para atrasar a puberdade

Uma pesquisa da Tavistock and Portman NHS Foundation Trust, principal clínica do especializada em questões de gênero do Reino Unido, revela que o número de crianças trans que buscam auxílio médico ou psicológico para entender a própria identidade de gênero cresceu 25% no último ano em comparação ao anterior. Além disso, ela também mostra que, anualmente, cerca de 300 jovens escolhem fazer tratamento para atrasar a puberdade  e ter tempo para refletir sobre a identidade de gênero .

O tratamento hormonal de crianças trans acontece com a prescrição de injeções que bloqueiam hormônios do sexo
shutterstock
O tratamento hormonal de crianças trans acontece com a prescrição de injeções que bloqueiam hormônios do sexo


O estudo, reportado na última semana em um programa de televisão da “BBC”, foi publicado na semana passada no site britânico “BMJ Journal”, uma das mais influentes publicações sobre medicina no mundo, e revela que esse processo acontece com a prescrição de medicamentos e injeções específicas que “bloqueiam” os hormônios do sexo de crianças trans  para que não despertam na puberdade e desencadeiem as mudanças físicas típicas dessa época.

Leia também: Como escolher um nome social de acordo com o seu gênero

Como funciona o tratamento?

O tratamento, disponível para jovens menores de 16 anos, é reversível e permite que as crianças possam se aliviar da ansiedade do período da puberdade, que é associada ao desenvolvimento de barba, bigode e uma voz mais grossa ou o desenvolvimento de seios. Para pessoas trans, não desenvolver esses aspectos pode ser mais fácil do que passar por uma transição mais complicada para se adequar ao gênero com o qual se identifica no futuro.

Esse tratamento de “bloqueio” também serve para para que  jovens confusos sobre a identidade de gênero ganhem tempo e não tenham de lidar com uma fase tão determinante quanto a puberdade muito novas. “A maioria dos jovens escolhe fazer o tratamento ‘bloqueador’ para se sentirem confortáveis em seus corpos, enquanto deixam em aberto o gênero com o qual se identificam para pensar no futuro”, diz o estudo da clínica londrina.

Segundo os autores do estudo , o crescente reconhecimento de pessoas trans na sociedade e a maior circulação de informações sobre possíveis tratamentos podem ser alguns dos fatores por trás do aumento no número de crianças que buscam a clínica. De acordo com a pesquisa, porém, ainda é necessário buscar mais informações para entender melhor os benefícios psicológicos do tratamento para crianças trans em diversas faixas etárias.