Tamanho do texto

Em nova revisão da Classificação Internacional de Doenças, a OMS anunciou que pessoas transgênero não poderão mais ser classificadas como doentes

A Organização Mundial da Saúde ( OMS ) informou, em anúncio na última segunda-feira (18), que decidiu retirar a transgeneridade da Classificação Internacional de Doenças (CID), que padroniza o diagnóstico de doenças, distúrbios, condições e causas de morte ao redor do mundo. Sendo assim, pessoas que se identificam como transgênero não poderão mais ser diagnosticadas com transtornos mentais apenas por terem tal identidade de gênero.

Leia também: Confira 6 conquistas da comunidade LGBT no Brasil em 2018

Conquista da comunidade transgênero: a transgeneridade não será mais classificada pela OMS como transtorno mental
shutterstock
Conquista da comunidade transgênero: a transgeneridade não será mais classificada pela OMS como transtorno mental


Em uma atitude bem vinda e há muito tempo esperada da OMS, a agência de saúde da Organização das Nações Unidas (ONU) confirmou que não há evidência de que a “incongruência de gênero” — ou seja, ser transgênero — é um transtorno mental, em revisão da nova Classificação Internacional de Doenças. No anúncio, a organização afirmou que espera combater o estigma que pessoas trans enfrentam no cotidiano.

Leia também: Veja o que heterossexuais podem fazer na luta contra a LGBTfobia

A nota de anúncio também acrescenta que a “incongruência de gênero”, além de deixar a lista de transtornos mentais, passará a fazer parte das chamadas condições de saúde sexual. De acordo com o que foi divulgado, classificar a transgeneridade como transtorno pode causar um enorme estigma para pessoas trans.

Nos testes feitos pela OMS para revisar a Classificação Internacional de Doenças, 31 países foram envolvidos, e cerca de 1,6 mil pessoas participaram da nova revisão. Cada país precisará se adaptar à nova CID, com prazo até o dia 1º de janeiro de 2022. A última revisão havia sido feita há 28 anos, justamente quando a organização retirou a homossexualidade da CID.

Leia também: 17 de maio comemora o Dia Internacional Contra a Homofobia

Dia da Luta contra a LGBTfobia

Para se ter ideia da importância de conquistas como a desta semana, o dia 17 de maio se tornou o Dia da Luta contra a LGBTfobia. A data foi escolhida porque foi o dia em que, em 1990, ocorreu a retirada da homossexualidade da Classificação Internacional de Doenças. A organização aboliu o sufixo “ismo”, que caracteriza condições patológicas. Essa vitória foi muito importante na luta pelos direitos LGBT e foi celebrada por pessoas e ONGs de vários países, assim como essa nova conquista da comunidade transgênero .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.