Tamanho do texto

"Com Amor, Simon" estreia nesta quinta-feira (22) e engorda a lista de filmes com temática LGBT que você não pode perder; veja mais detalhes

O cinema LGBT , mesmo quando se trata de ficção, é um bom retrato da realidade vivida por essa comunidade. Seja em forma de romance ou com uma história de aceitação, muitas dessas produções se transformam em clássicos por quebrarem com padrões e aumentarem a representatividade. Com a estreia de “ Com Amor, Simon ”, vem à tona também a discussão sobre como os filmes LGBT vêm inovando cada vez mais para trazer um retrato diferente ao público.

Leia também: 11 filmes para chorar até desidratar com temática LGBT

Divulgação
"Com Amor, Simon", uma comédia romântica descontraída, promete ser um dos clássicos filmes LGBT


“Com Amor, Simon” é uma comédia romântica que conta a história de Simon, interpretado por Nick Robinson, que aparentemente leva uma vida comum, mas sofre por esconder o fato de ser gay. A situação fica mais complicada quando ele se apaixona por um dos colegas de classe na internet. O longa está sendo comemorado por abordar o tema com simplicidade, como qualquer outra comédia romântica, e ser um dos filmes LGBT que realmente mostram a realidade da comunidade.

A película tem tudo para fazer sucesso. E para entrar no clima de "bom filme + pipoca", veja também uma lista das produções com temática LGBT que se tornaram clássicos:

1. “Me Chame Pelo Seu Nome” (2017)

Em
Reprodução
Em "Me Chame Pelo Seu Nome", as coisas ficam quentes entre Elio (Timothée Chalamet) e Oliver (Armie Hammer)


Dirigido por Luca Guadagnino, o filme conta a história do jovem Elio e do novo morador temporário da casa, Oliver, que é colega de pesquisa do pai do garoto. Os dois começam a se aproximar e descobrem o interesse recíproco, partindo para um romance. 

A história conquistou o público com sua sutileza e originalidade, acendendo a chama de uma “amor proibido”. O filme foi indicado a quatro categorias do Oscar 2018 e ganhou a estatueta por Melhor Roteiro Adaptado.

2. “Uma Mulher Fantástica” (2017)

Daniela Vega é
Divulgação
Daniela Vega é "Uma Mulher Fantástica" e conquistou o prêmio de Melhor Filme Estrangeiro


No filme, a atriz transgênero Daniela Vega vive o retrato da personagem Marina, uma jovem mulher trans enfrentando a intensa hostilidade social. Ela é garçonete e cantora em um relacionamento com um homem mais velho e precisa sobreviver e encarar o preconceito.

A obra dirigida por Sebastián Lelio vem sendo aclamada por ser um exemplo raro de uma heroína trans interpretada por uma mulher com a mesma identidade de gênero em um ramo predominado por atores cisgênero.

“Uma Mulher Fantástica” ganhou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, o primeiro com protagonista trans a realizar tal feito.

Leia também: 5 momentos que mostram que o Oscar 2018 ficou marcado para a história LGBT

3. “Carol” (2015)

O filme
Reprodução/Facebook
O filme "Carol" quebra padrões quando se trata de um romance entre duas mulheres



Uma fotógrafa jovem e inexperiente engata um romance intenso com uma mulher mais velha, que precisa lidar com as consequências de ser quem é. Protagonizado por Cate Blanchett e Rooney Mara, o filme recebeu seis indicações ao Oscar.

Ele é aclamado pela comunidade LGBT por trazer um final único (sem spoiler) e diferente do que já foi feito, mantendo-se verdadeiro à essência da sexualidade das personagens e suas construções psicológicas.

4. “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho” (2014)

Em
Divulgação
Em "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", o protagonista Leonardo é gay e portador de deficiência visual


Esse é um dos filmes mais poéticos da cinematografia brasileira e um dos primeiros a trazer com tanta força ao público jovem no Brasil o tema da homossexualidade. Dirigido por Daniel Ribeiro, “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho” retrata a adolescência e as descoberta do amor de dois meninos, um deles deficiente visual.

O personagem é ainda mais interessante por desconstruir preconceitos e estereótipos. 

5. “Azul é a Cor Mais Quente” (2013)

Adèle se apaixona por uma garota de cabelos azuis e o romance termina em cenas quentes
Divulgação
Adèle se apaixona por uma garota de cabelos azuis e o romance termina em cenas quentes


O drama retrata a vida de Adèle, uma jovem adolescente que se questiona sobre sua sexualidade e se apaixona por Emma, a menina de cabelos azuis — que dá nome ao filme. A obra inspira um debate sobre a maneira como a sociedade lida com o amor entre mulheres.

Foi uma das primeiras a causar grande repercussão com um romance lésbico polêmico e cenas bem quentes. Os críticos e o público admitem ser uma obra ímpar sobre a descoberta da juventude.

6. “Clube de Compras Dallas” (2013)

Em
Divulgação
Em "Clube de Compras Dallas", as questões do HIV e da transgeneridade são abordadas


Inspirado em histórias reais, o filme se passa em 1986, quando o eletricista texano Ron Woodroof, interpretado por Matthew McConaughey, é diagnosticado com AIDS e logo começa uma batalha contra a indústria farmacêutica. Procurando tratamentos alternativos, ele passa a contrabandear drogas ilegais do México e, assim, logo começa a revendê-las a outros soropositivos, criando o famoso clube de compras Dallas. Nessa história, ele fica próximo de Rayon, uma mulher trans interpretada por Jared Leto.

“Clube de Compras Dallas” é reconhecido internacionalmente por abordar o tema da AIDS e a relação com a sexualidade e a identidade de gênero, principalmente por se passar em uma época de muito preconceito.

7. “Tomboy” (2011)

Laure ainda não tem interesses sexuais, mas é um bom retrato do que lésbicas
Divulgação
Laure ainda não tem interesses sexuais, mas é um bom retrato do que lésbicas "fora do padrão" vivenciam


Laure, retratada pela atriz Zoé Héran, é uma garota de 10 anos, que vive com os pais e a irmã caçula. A família se mudou há pouco tempo e não conhece os vizinhos. Um dia, Laure resolve sair para brincar na rua e faz uma amiga, que a confunde com um menino. Laure, que usa cabelo curto e gosta de vestir roupas masculinas, aceita a confusão e lhe diz que seu nome é Mickaël. A partir de então, ela leva uma vida dupla, já que seus pais não sabem de sua falsa identidade.

A homossexualidade é retratada de forma sutil, quase imperceptível, sendo o título que dá mais a entender o tema; em inglês, “tomboy” é uma expressão que faz alusão a garotas que se vestem com roupas estereotipadamente masculinas, que são em grande parte lésbicas. Em plena pré-adolescência, não há ainda impulsos sexuais em Laure, mas o filme serve de retrato para uma realidade vivida pelas lésbicas “fora do padrão feminino”.

Leia também: 10 opções de filmes LGBT que abordam o tema honestamente

8. “O Segredo de Brokeback Mountain” (2005)

Em
Divulgação
Em "Brokeback Mountain", os dois caubóis passam pela fase da descoberta, e o filme tornou-se um clássico LGBT


Um clássico do cinema LGBT, “Brokeback Mountain” conta a história de dois caubóis que começam a ter sentimentos um pelo outro. Vivendo isolados por semanas, eles se tornam cada vez mais amigos e iniciam um relacionamento amoroso. Ao término do verão, cada um segue sua vida, mas aquele período que eles passaram juntos fica marcado. 

É um dos primeiros filmes LGBT a causarem grande polêmica, principalmente por ter sido lançado em uma época bastante conservadora. Assim, tornou-se um clássico da comunidade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.