Tamanho do texto

O objetivo da campanha é não só quebrar tabus para que mulheres falem abertamente sobre menstruação, mas também para os transgêneros

A empresa Pink Parcel divulgou na quinta-feira (14), uma campanha sobre menstruação que contou com a participação de um homem transgênero. O escolhido para a peça foi o modelo inglês Kenny Jones, de 23 anos. De acordo com informações do jornal britânico "Daily Mail", o objetivo da empresa é quebrar preconceitos e estigmas ao redor do tabu que ainda é falar sobre menstruação. 

Leia também: PSB tem primeira mulher transgênero na direção nacional em 70 anos

Modelo transgênero aparece em campanha sobre menstruação
Reprodução/YouTube/Pink Parcel
Modelo transgênero aparece em campanha sobre menstruação


A campanha que conta com o homem transgênero se chama “I’M ON” , uma referência à frase em inglês que significa estar no período menstrual. Ao lado dele aparecem celebridades como a desenhista fashion Olivia Rubin e a escritora Dolly Alderton, todos usando camisetas com frases empoderadoras. A campanha incentiva as mulheres a falarem abertamente sobre a menstruação e também a normalizarem a ideia de que, sim, as pessoas menstruam.

O modelo decidiu fazer parte do movimento para acabar com o estigma de homens transgênero e menstruação. Em entrevista ao "Daily Mail", Jones revela a vergonha que sentia por ser homem e menstruar. Ele nunca falou sobre o assunto com outros homens trans, apesar de ser uma questão com o qual muitos têm que lidar.

Leia também: “Para sobreviver, tem de ser forte”: Mulher transgênero sobre viver na Rússia

“Acredito que a existência do tabu da menstruação é uma coisa ruim. Isso deveria ser visto de forma positiva, porque é normal falar sobre o que somos, uma função normal do corpo”, afirma Jones.

A campanha da Pink Parcel ainda descobriu que mais de um terço da população britânica enxerga a menstruação como um tabu.

A história de Kenny Jones

Quando criança, ele não entendia sua identidade de gênero e se vestia de forma andrógina. Com 11 anos, ele já se negava usar saias para ir à escola exclusiva para garotas. Ele se assumiu trans aos 14 anos, quando já raspava o cabelo, e, aos 16, ele mudou o próprio nome.

Como adolescente, Jones admite ter sofrido com “aquele período do mês” enquanto realizava a transição. Foi então que, aos 17 anos, Jones começou a tomar bloqueadores de hormônios para parar de menstruar. Só três anos depois que ele começou a se sentir confiante com seu corpo, quando tinha 20 anos e sua barba começou a crescer.

Leia também: Mulher transgênero "se transforma em réptil" após diagnóstico de HIV

“Ter a aparência de um homem definiu como as pessoas olhavam para mim, e isso era o que eu queria”, afirma o transgênero.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.