Tamanho do texto

O "gaydar" é um termo utilizado para nomear a habilidade de perceber a sexualidade de uma pessoa; teste o seu com um quiz de celebridades

Você já olhou para alguém e sentiu que sabia a sexualidade daquela pessoa? Se sim, talvez você conheça a expressão “gaydar”, termo utilizado para a suposta habilidade de perceber se uma pessoa é hétero, gay ou bissexual apenas por sua aparência .

Leia também: Mito do "gaydar" é mais prejudicial do que as pessoas imaginam, aponta estudo

Cenas do curta
Divulgação
Cenas do curta "Gaydar", produção de Felipe Cabral, apresentam a ideia do tal radar


Para otimizar o suposto “ gaydar ”, pesquisadores têm usado a tecnologia para tentar apontar com mais certeza a sexualidade de uma pessoa. Segundo um artigo publicado em fevereiro no “Journal of Personality and Social Psychology”, computadores são realmente mais eficazes para realizar a tarefa que nós, meros humanos. Em setembro de 2017, por exemplo, um software de inteligência artificial foi desenvolvido na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, e a promessa é que ele saberia dizer se uma pessoa era gay ou hétero simplesmente digitalizando uma foto de rosto dela.

Leia também: Software pode dizer se as pessoas são gays analisando apenas uma foto de rosto

Enquanto isso, na Malásia, foi publicado em um dos principais jornais diários do país, o “Sinar Harian”, uma lista apontando características relacionadas a gays e lésbicas. Alguns exemplos da lista são o de que homens gays musculosos usam camisetas apertadas para mostrar os músculos e o de que lésbicas são ciumentas e amam abraçar. De maioria muçulmana, a Malásia é um país hostil para a comunidade LGBT, condenando socialmente diversas práticas.

Entre tantas controvérsias, algumas pessoas afirmam que o tal radar pode disseminar ainda mais estereótipos, outras gostam de pensar nisso apenas como uma diversão. Será que realmente existe? Se sim, acha que seu radar está afiado? Faça o teste e descubra. Separamos algumas celebridades que já falaram sobre sexualidade. 

Teste o seu radar gay




E aí, como se saiu no teste? É muito provável que tenha confundido algumas pessoas e suas respectivas sexualidades.

Em estudo publicado em 2017 no "Journal of Sex Research", William Cox, cientista do Departamento de Psicologia da Universidade de Wisconsin, nos EUA, afirmou que o radar gay não é preciso e, na verdade, é uma forma prejudicial de estereotipação.

Leia também: Roupas sem gênero quebram estereótipos de feminino e masculino

"A maioria das pessoas sabe que estereotipar é inapropriado. Mas se você não chamar de 'estereotipação', se você der um outro nome e camuflá-la como 'gaydar', ela parece ser muito mais aceita pessoalmente e socialmente", diz Cox.

    Leia tudo sobre: gay
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.