Tamanho do texto

O Walgreens é conhecido por ser aliado da comunidade LGBT. No começo deste ano, adotou uma medida de banheiros inclusivos para transgêneros

A rede de farmácias e produtos de saúde Walgreens adotou no começo de fevereiro uma nova política de banheiros inclusivos para pessoas  transgênero  em todas as suas franquias. Segundo informações do "Los Angeles Times", a nova medida, elaborada no final de 2017, determina que “todos os indivíduos têm o direito de usar as instalações de higiene que correspondem à identidade de gênero do indivíduo, independentemente do sexo designado em seu nascimento”.

Leia também: Travestis e transexuais poderão usar banheiro que se identificam no Ministério Público do Trabalho

O Walgreens, rede de farmácias e produtos para saúde, é uma das franquias mais LGBT-friendly dos Estados Unidos
shutterstock
O Walgreens, rede de farmácias e produtos para saúde, é uma das franquias mais LGBT-friendly dos Estados Unidos


Ou seja, pessoas trans por todo o território dos Estados Unidos podem ir ao banheiro em que se sentem mais à vontade, já tendo feito a operação de redesignação de sexo ou não. A decisão aconteceu após Jessie Meehan, uma cliente, sofrer discriminação em uma loja em Hollywood, na Califórnia, ao tentar usar o banheiro. Após saber do caso, o Walgreens decidiu seguir com a nova política em suas 8 mil lojas nos Estados Unidos.

O caso de Jessie Meehan

Jessie é uma mulher cis e sempre considerou a empresa uma aliada da comunidade. Ela estava a caminho do Festival “Pride” 2017 em Los Angeles, a parada gay da cidade, e parou para comprar acessórios na loja. Ao tentar usar o banheiro, foi impedida por um assistente de vendas. O funcionário afirmou que ela não poderia usar o banheiro feminino pois sua aparência era muito masculina. 

Leia também: App mostra localização de banheiros seguros para gays e trans

O gerente do estabelecimento declarou que a política adotada era a de julgar um cliente por sua aparência. Posteriormente, outro gerente negou a declaração. Com pressa, a mulher não fez qualquer outra queixa no momento. No festival, encontrou apoio da American Civil Liberties Union of Southern California (ACLU SoCal).

Jessie Meehan é ativista pelos direitos LGBT e se manifestou contra a discriminação no Walgreens em vídeo no YouTube
Reprodução/Youtube/ACLU of Southern California
Jessie Meehan é ativista pelos direitos LGBT e se manifestou contra a discriminação no Walgreens em vídeo no YouTube


Jessie é ativista pelos direitos LGBT e escreveu uma carta para a franquia de farmácias, sugerindo mudanças. Dois meses depois, sem resposta, Amanda Goad, advogada do ACLU, enviou outra carta constatando a lei da Califórnia, que protege o direito de todos de utilizar banheiros correspondentes à identidade de gênero.

Logo, a nova medida foi instalada e, em um vídeo publicado no canal da ACLU no YouTube, Jessie contou a história e comemorou.

Leia também: Alunos transgêneros da Califórnia poderão escolher banheiro que vão usar

No começo de 2018, o Walgreens foi nomeado pela Human Rights Campaign, como um dos melhores lugares pela igualdade LGBT.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.