Tamanho do texto

O australiano Nicholas Brett Delaney foi descoberto após um colega desconfiar dele por errar termos básicos da medicina e ele continua solteiro

Encontrar um bom partido realmente não é uma tarefa fácil. Prova disso, é o australiano Nicholas Brett Delaney que foi detido na semana passada por passar seis meses fingindo ser um médico. O motivo que levou o rapaz de 25 anos a fazer isso é inusitado: ele queria ficar vagando pelo hospital para ver se encontrava um namorado na equipe médica.

Leia também: Professor é demitido após alunos descobrirem que ele é gay

Jovem finge ser médico de hospital infantil para tentar encontrar um namorado da equipe masculina do hospital
Shuttersock
Jovem finge ser médico de hospital infantil para tentar encontrar um namorado da equipe masculina do hospital


Em maio deste ano, o jovem roubou um crachá e se infiltrou em um hospital infantil chamado Lady Cilento que contempla a Casa Ronald McDonald da Austrália e, assim, conseguiu ter acesso a áreas restritas destinadas apenas a funcionários. Segundo o jornal local "Courier Mail", ele se vestia com roupas de médico e com lábia convenceu a maioria dos funcionários de que realmente fazia parte da equipe.  

Colocado contra a parede 

Entretanto, um profissional mais atento percebeu que o jovem farsante errava termos básicos da medicina e, por isso, foi descoberto. Quando os oficiais chegaram, o australiano se apresentou como Dr. Nick Delaney, mostrou seu crachá aos polícias e apresentou cartas de recomendação falsas que costumava exibir pelo hospital.

Leia também: Lutador profissional revela ter um namorado e fica surpreso com reações


Depois de ser pressionado, Nicholas resolveu admitir aos detetives que realmente estava mentindo e ao ser questionado sobre o motivo da farsa, disse que estava tentando impressionar os membros da equipe masculina na tentativa de encontrar um namorado. Ele também falou que estava muito envergonhado e teve medo de confessar aos seus novos amigos que ele era uma fraude.

Bem longe do hospital

As primeiras investigações dos detetives indicam que o jovem nunca teve acesso aos pacientes, ele apenas ficava nos corredores conversando com os profissionais. Ao se apresentar para as autoridades, ele se declarou culpado das acusações que foram feitas.

Leia também: Mulher começa a namorar amante do namorado após descobrir traição

O magistrado Stuart Shearer foi quem recebeu o caso, ele explica que não havia nada trivial no crime de Nicholas cometeu, por isso, deixou que ele ficasse em liberdade para arrumar um advogado. Mesmo assim, o falso médico precisou pagar uma fiança e está proibido de entrar nos hospitais que fingiu trabalhar durante esses seis meses. O caso será retomado no dia 29 de janeiro.

    Leia tudo sobre: gay
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.