Tamanho do texto

O casal de lésbicas comemora votação a favor do casamento homoafetivo na Austrália e já faz os preparativos para a cerimônia; conheça a história delas

Nesta semana, a maioria da população da Austrália votou a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Para Georgia Carr, de 64 anos, e Susan MacFarlane, 66, este foi o momento em que sua relação de 43 anos finalmente foi validada aos olhos do país. Agora, o casal de lésbicas já planeja se unir legalmente assim que a legislação for aprovada.

Leia também: Após 8 meses sem se ver, casal de mulheres é reunido por companhia aérea

O casal de lésbicas está junto há 43 anos
Reprodução/Facebook/97.3 ABC Illawarra
O casal de lésbicas está junto há 43 anos

Quando o casal de lésbicas se apaixonou, em 1974, nenhuma delas entendia o que estava acontecendo: elas nunca haviam escutado o termo "lésbicas" e a homossexualidade era um tabu - e ilegal. As mulheres contaram que elas estavam "confusas" e pensavam em si mesmas como "heterossexuais que se apaixonaram". "Nós duas tínhamos namorados antes de nos apaixonarmos”, contou Susan ao "Daily Mail".

As mulheres lutaram contra o sentimento e até terminaram por alguns meses no início do relacionamento porque a Georgia queria ter um bebê - mas não era possível que um casal de mulheres tivesse filhos. "Eu cresci toda a minha vida pensando que eu iria me casar e ter filhos - porque isso é o que as mulheres fazem", disse a Georgia. "Mas, depois de alguns meses, pensei comigo mesma ‘porque eu desistiria do maior amor do mundo por algo que não me daria felicidade?’".

Depois disso, foram anos de reflexão para que o casal fosse completamente honesto consigo mesmo e percebesse que elas eram lésbicas - e que esse seria o estilo de vida delas. "Eu não conhecia outras lésbicas do mundo. A escola não me preparou para isso e isso não era mostrado na televisão e em filmes da época", disse Susan.

Leia também: Lésbicas vão se casar em 24 países onde união homoafetiva é aceita

Por não conhecerem outros casais  homoafetivos, elas ficaram com várias dúvidas quando decidiram morar juntas. "Nós olhamos uma para a outra e nos questionamos sobre quem ia tirar o lixo - ou matar as aranhas", disse Susan. "Mas aprendemos a ser muito versáteis e somos uma ótima equipe", completou Georgia.

O casal no começo do relacionamento e em foto atual
Reprodução/Daily Mail
O casal no começo do relacionamento e em foto atual

Quando elas decidiram contar para as famílias sobre o romance, a reação foi surpreendente, já que as mães da Georgia e Susan eram melhores amigas desde a infância. "Eu sempre assumi que minha mãe sabia, porque sempre que nós íamos para a casa dela, ela preparava uma cama de casal para nós duas", disse Georgia. "Eu disse, mãe, você provavelmente já sabe, mas Susan e eu somos um casal. Ela perguntou como poderia saber isso se eu nunca contava nada”. A mãe de Georgia respondeu que amava as duas e que, apesar de elas serem julgadas por isso, ela só queria que as duas fossem felizes.

A mãe de Susan também apoiou o casal. "Ela disse ‘meu marido tem sido uma parte fundamental da minha vida e lamento que você nunca tenha um’, mas que ela também amava a Georgia", conta Susan.

Casamento gay na Austrália

Como o casamento entre pessoas do mesmo sexo ainda não é legalizado na Austrália, as mulheres fizeram uma cerimônia informal quando eram mais jovens. "Foi uma grande coisa em nosso círculo social, para a nossa família e amigos para verem o quão sério era a nossa relação", falou Susan. "Eles não nos questionaram depois disso".

Mas essa situação pode mudar em breve! Em uma consulta à população australiana, 61,6% dos eleitores votaram a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo, abrindo caminho para a aprovação de uma lei que legaliza o casamento homoafetivo até o fim de 2017 no país.

Leia também: Dona de padaria se recusa a atender lésbicas e sofre boicote

O casal planeja se casar - agora legalmente - assim que o casamento homoafetivo for legalizado no país. "Estamos cruzando os dedos para [conseguirmos casar em] 6 de janeiro, que é o nosso 44º aniversário". Mas as mulheres reconhecem que estão sendo otimistas em relação à data. “Devemos apresentar nossa intenção de casar e a papelada um mês antes da data -, mas se não pudermos nos casar neste dia, faremos o mais cedo possível ".

A união oficial será na casa do casal de lésbicas, que tem vista para o mar e espaço suficiente para seus convidados. "Não há amor suficiente neste mundo, então ele deve ser comemorado sempre que surgir", disse Susan.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.