Tamanho do texto

O jovem foi expulso após revelar ao diretor que era um homem transgênero. Ele conta que foi bem recebido na nova escola e até virou rei do baile

Passar por um processo de transição de gênero não costuma ser algo fácil, ainda mais quando se é jovem e não pode contar com o apoio das pessoas a sua volta. Essa poderia ser a história do norte-americano Stiles Zuschlag, mas o fato de ter sido expulso da escola cristã na qual estudava fez a trama ter um final feliz e surpreendente. 

Leia também: Escola é acusada de homofobia ao censurar alunos gays em anuário

O jovem foi expulso da escola em que estudava após revelar que era transgênero
Reprodução/Facebook/Stiles Zuschlag
O jovem foi expulso da escola em que estudava após revelar que era transgênero

Segundo informações do portal "Huffpost", Stiles estudava desde pequeno em uma escola cristã e, em 2015, iniciou o processo de transição de gênero. Em agosto deste ano, o jovem foi à sala do diretor da escola para falar sobre como ele se identificava como um homem, mas, ao invés de apoio, ele recebeu um ultimato. Ele teria que confessar seus pecados, parar o tratamento com testosterona e receber aconselhamento cristão para seguir ali. Ou deveria simplesmente encontrar uma nova escola para frequentar.

Leia também: Nove problemas que estudantes homossexuais enfrentam na escola

Stiles acabou expulso e, apesar de ter sido uma experiência dolorosa, vê hoje a obrigação de mudar de escola como uma benção de Deus.  "Fui muito maltratado no passado. Eu me adaptei às crenças e padrões de outras pessoas apenas para deixá-las felizes e confortáveis. Eu me coloquei em situações realmente dolorosas para minha saúde mental apenas para manter a paz ", diz ele.

"Deus me forçou a sair dessa situação, daquela escola, sabendo que minha saúde mental era muito mais importante do que minha educação”, fala Stiles. “A única razão pela qual eu fiquei na escola durante tanto tempo foi pela minha educação e para aprender sobre Deus. Mas eu também estava morrendo mentalmente e sofri muito ", continua ele. "Deus me afastou daquilo para me ajudar a ser uma pessoa melhor, para que eu pudesse respirar novamente, para ser feliz novamente. Estou muito agradecido que ele fez isso por mim ".

Leia também: Mãe de transgênero não sabe se filho poderá usar banheiro na escola 

De "errado" a rei do baile

Depois de ter enfrentado tanto preconceito, para sua surpresa - muito boa por sinal - o norte-americano foi bem recebido na nova escola. E logo nas primeiras semanas de aula, um e-mail começou a circular procurando por candidatos para serem rei e rainha do baile. “Pelo Snapchat, eu pedi como uma piada para me indicarem e as pessoas realmente fizeram isso. Eu realmente não esperava que eles fossem votar. Ainda não consigo acreditar que fizeram isso por mim", fala o jovem. 

"Essa experiência parece um sonho. É algo que eu nunca pensei que poderia ter acontecido comigo ", completa ele ao "HuffPost". 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.