Tamanho do texto

Segundo pesquisa no Reino Unido, 24% dos jovens de 16 a 22 anos - a chamada Geração Z - se descrevem como homossexuais ou bissexuais

Cada geração tem suas próprias características e uma pesquisa feita no Reino Unido mostrou mais uma vez isso. De acordo com o resultado do estudo, 24% dos jovens de 16 a 22 anos - a Geração Z - se descrevem como homossexuais ou bissexuais. Esse dado mostra um crescimento em relação à geração dos baby boomers - pessoas nascidas entre a década de 50 e 60 - em que apenas 7% disseram ter atração pelo sexo oposto.

Leia também: Gays se posicionam contra casamento homoafetivo e são duramente criticados

24% das pessoas da Geração Z que foram entrevistadas revelaram que sentem atração pelo sexo oposto
shutterstock
24% das pessoas da Geração Z que foram entrevistadas revelaram que sentem atração pelo sexo oposto

O estudo, encomendado pela BBC e realizado pelo site de pesquisas Ipsos Mori,  foi feito com 1.000 pessoas da Geração Z e com 672 baby boomers sobre suas preferências sexuais. Cerca de 14% dos mais jovens disseram que se sentem mais atraídos pelo sexo oposto, enquanto 9% disseram que sentem atração da mesma forma por ambos os sexos.

Quando chegou a vez de os baby boomers responderem, apenas 12% disseram que sentiam atração pelo sexo oposto ou por ambos os sexos.

Leia também: Pesquisa revela que 21% dos britânicos recusariam convite para casamento gay

De acordo com a terapeuta sexual Louise Mazanti, as "caixas" de heterossexuais ou homossexuais simplesmente "não se encaixam na sexualidade humana". “Estamos vendo uma tendência de questionar as normas de orientação sexual. Os jovens estão cada vez mais resistindo ao confinamento de serem definidos como heterossexuais ou homossexuais”, explica a terapeuta para o "The Sun".

"Essas caixas simplesmente não se encaixam na sexualidade humana, e nunca se encaixaram. Na minha opinião, eles foram criadas pelo homem”, afirma Louise. “É hora de admitir que podemos ter preferências sexuais pelo gênero, mas se nós dermos permissão para nós mesmos, os órgãos genitais não irão definir as pessoas por quem nós sentiremos atração”, completa. 

Divergências de opiniões

Além de responderem sobre a orientação sexual, os entrevistados também falaram sobre outras questões que dividem opiniões. Cerca de 10% dos jovens disseram que os preconceitos com pessoas homossexuais, bissexuais e transgêneros eram questões importantes, em comparação com apenas 1% dos baby boomers que afirmaram o mesmo.

Leia também: Polêmico escritor gay, Santiago Nazarian lança livro de terror "Neve Negra"

Os pesquisadores também perguntaram a opinião deles sobre o racismo e a circulação de pessoas na Europa. 20% da Geração Z disseque o racismo era uma questão importante, em comparação com 6% dos baby boomers. 10% da Geração Z apoiou a livre circulação de pessoas na Europa, em comparação com 4% dos baby boomers.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.