Tamanho do texto

O Conselho Federal de Psicologia considera "perigosa" a possibilidade de tratamentos de "(re)orientação sexual", a chamada "cura gay"

Na quinta-feira (21), o Conselho Federal de Psicologia (CFP) entrou com recurso contra a decisão do juiz federal que autorizou, em caráter liminar, que psicólogos usem seu conhecimento para tratamentos de “ reversão sexual ”, a "cura gay". A decisão provisória foi tomada no dia 15 de setembro e está dividindo muitas opiniões de profissionais da área de psicologia.

Leia também: Tratamentos para curar homossexuais são autorizados por juiz do DF

De acordo com Conselho Federal de Psicologia, a “cura gay” viola direitos humanos
shutterstock
De acordo com Conselho Federal de Psicologia, a “cura gay” viola direitos humanos

De acordo com nota divulgada pelo Conselho, a decisão liminar abre a “perigosa” possibilidade de uso de terapias de (re)orientação sexual - a chamada " cura gay ". “A ação foi movida por um grupo de psicólogos (as) defensores dessa prática e representa uma violação dos direitos humanos e não tem qualquer embasamento científico".

A  Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) também está apoiando o CFP e ingressou no processo como amicus curiae (amigo da corte), como uma entidade externa à ação que vai ao tribunal levar outros esclarecimentos essenciais sobre o tema. Segundo Claudio Lamachia, presidente da OAB, há perigo de "retrocesso social" e é inaceitável tratamento de homossexuais como portadores de doença.

Leia também: Ativista LGBT pede aposentadoria por invalidez após decisão de juiz

Desde 1990, a homossexualidade deixou de ser considerada doença pela Organização Mundial da Saúde (OMS). 

Reação dos famosos

A decisão do juiz está dividindo opiniões e provocando muitas reações na Internet, grande parte se mostrando contra. Famosos brasileiros, como Anitta, utilizaram o Instagram para falar sobre o assunto. “Deus, cure a doença da cabeça do ser humano que não enxerga os verdadeiros problemas de uma nação. Pais, não obriguem seus filhos a procurarem cura para uma doença que não existe baseados neste fato político”, disse a artista.

Leia também: Famosos usam a Internet para falar de tratamentos em homossexuais

As cantoras internacionais Demi Lovato e Tove Lo também fizeram publicações sobre a cura gay. “Pensando em você hoje, Brasil. Espero que logo corrijam essa decisão errada”, disse Demi. Já Tove Lo fez questão de dizer que amor não é doença. “É a cura. Para todos os meus fãs gays no Brasil, não pensem por um segundo que vocês precisam de qualquer tipo de ‘cura’ por causa de quem vocês amam”, escreveu ela.