Tamanho do texto

Anitta e outros famosos fizeram publicações no Instagram para se posicionar contra decisão de juiz que autorizou o tratamento da homossexualidade

Em decisão que está dividindo opiniões, o juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, do Distrito Federal, autorizou, em caráter liminar, que psicólogos usem seu conhecimento para "curar a homossexualidade". Indignados, famosos como Anitta, Pabllo Vittar, Preta Gil e Fernanda Gentil foram ao Instagram protestar contra a decisão.

Leia também: Tratamentos de "cura gay" são autorizadas por juiz do Distrito Federal

Famosos como Anitta, Pabllo Vittar, Preta Gil e Fernanda Gentil falaram sobre o assunto no Instagram
Reprodução/Instagram/anitta/pretagil/gentilfernanda
Famosos como Anitta, Pabllo Vittar, Preta Gil e Fernanda Gentil falaram sobre o assunto no Instagram

Anitta é uma das integrandes do grupo de  famosos que decidiu gravar um vídeo para falar sobre o assunto. “O Brasil se devastando e as autoridades preocupadas com quem queremos nos relacionar. Isso precisa acabar. Deus, cure a doença da cabeça do ser humano que não enxerga os verdadeiros problemas de uma nação”, escreveu a cantora.

That's what happens in my country. People dying, hungry, the government killing the country with corruption, no education, no hospitals, no opportunities... and the authorities are wasting their time to announce that homosexuality is a sickness. Homosexuals and bisexuals now have a treatment for this "sickness" here. So I ask... who is the real sick person here? I'm praying God that these real sick people find the cure of these crazy minds and start to look at the real important things here. / O Brasil se devastando e as autoridades preocupadas com quem queremos nos relacionar. Isso precisa acabar. Deus, cure a doença da cabeça do ser humano que não enxerga os verdadeiros problemas de uma nação. Pais, não obriguem seus filhos a procurarem cura pra uma doença que não existe, baseados neste fato político. Essa busca interminável sim pode deixa-los realmente doentes.

A post shared by anitta 🎤 (@anitta) on


Outra famosa que se posicionou contra a cura gay foi Preta Gil. "A gente está aqui tentando procurar um remédio, alguma coisa para ver se cura a gente da homossexualidade, da bissexualidade. Como é que cura um ser humano de amar o outro?", questionou a cantora. "Fernanda Lima, você que tem tantos amigos que amam livremente, você tem algum remédio? Sabe se eles tem algum remédio ou acharam a cura? Pabllo (Vittar) , mana, me conta! Você acha que tem que se curar?”

Para finalizar, a cantora deixou claro que não tem vontade de mudar quem é. “Se tiver a cura aí, deixa longe de mim porque prefiro ficar doente", disse no vídeo.

A dragqueen Pabllo Vittar, que está fazendo um grande sucesso nas paradas musicais, foi mais sucinta e fez uma publicação com a legenda “NÃO SOMOS DOENTES”.

// NÃO SOMOS DOENTES 🌈

A post shared by Pabllo Vittar 🏹💘✨ (@pabllovittar) on


Fernanda Gentil decidiu fazer uma brincadeira com a situação e publicou uma foto em que está com um termômetro na boca e com vários comprimidos. “Tentando me curar dessa doença, mas tá difícil..... Ô @paulogustavo31 , obteve sucesso aí??????? #algumadica?”, escreveu a apresentadora na legenda marcando Paulo Gustavo, ator assumidamente homossexual. 

Leia também:  Casais homoafetivos famosos que inspiram muita gente

Tentando me curar dessa doença, mas tá difícil..... Ô @paulogustavo31 , obteve sucesso aí??????? #algumadica?

A post shared by Fernanda Gentil - Oficial (@gentilfernanda) on

Paulo Gustavo também decidiu usar o humor para comentar sobre a medida em um vídeo.  "Eu tô catando tudo que é remédio aqui para melhorar na homossexualidade, mas não tô conseguindo. Eu tô veado há muito tempo, difícil sair da crise", debochou o ator, que ainda pede ajuda ao marido: "Ô Thalles, liga aí para a Fernanda Gentil porque ela é lésbica, para saber o que ela tá tomando para tentar melhorar? Não tô conseguindo não... O que é isso aqui? Remédio para a asma. Ô Thalles, liga para a Preta Gil porque ela é bi, deve saber também..."

Gretchen também fez questão de se posicionar contra a prática. Mãe de Thammy Miranda, um homem transgênero, a artista publicou um vídeo em seu Instagram para chamar todos os pais a se unirem para lutar contra um tratamento que ela chama de "ridículo". 

"Então quer dizer que esses palhaços do governo, que querem vender a Amazônia, agora inventaram que homossexualidade é doença? Ok. Eu tô morando fora do Brasil mas agora em outubro eu estou de volta", disse ela. 

Pais e mães. Nós não podemos permitir isso.

A post shared by Gretchenoficial (@mariagretchen) on

Casada há mais de quatro anos com a jornalista Malu Verçosa, Daniela Mercury postou uma foto do casal com a legenda: “Dá para perceber de 'cara' que estamos doentes. Doentes de amor, doentes de respeito mútuo, doentes por nossa família. Somos doentes de felicidade! Nos respeitem!".

“Eu estou cansada após um longo dia, mas não poderia deixar de dizer que estou preocupada com as notícias desse Brasil que a cada dia fortalece o retrocesso! O que a gente precisa é de amor, de aceitação, de afeto”, escreveu Taís Araújo. No vídeo, a atriz revela ter medo que a medida do juiz gere mais violência, mais morte e menos compaixão.

Carol Duarte também foi ao Instagram falar sobre a decisão. A atriz, que interpreta um personagem transgênero em "A Força do Querer" e namora uma mulher na vida real, ironizou a medida do juiz. "Passar argila na cara é um dos tratamentos da cura gay. Se vc é gay tente tambem e compartilhe com a gente a sua cura! Sua pele vai ficar ótima, bicha! 😄 (Esse post contém ironia) #doençaéseupreconceito #vaicatarcoquinho".

Leia também: 7 atores transgêneros que estão fazendo sucesso na mídia


Assim como Carol Duarte, a atriz Bruna Linzmeyer utilizou a ironia em sua publicação. "Acordei meio lésbica, será que dá pra ir trabalhar?", questinou.



O ator Bruno Gagliasso também protestou e afirmou que quem precisa de tratamento é o próprio juiz que determinou a decisão polêmica.


Decisão controvérsa 

A autorização do juiz acata o pedido de uma ação movida por um grupo de profissionais da área de psicologia que defendem práticas que curam a homossexualidade. O Conselho Federal de Psicologia (CFP) afirma que as terapias de reversão sexual são “uma violação dos direitos humanos  e não têm qualquer embasamento científico” e que irão recorrer.

Além dos famosos, usuários do Twitter utilizaram a hashtag #HomofobiaÉDoença para falar sobre o assunto, que se tornou a mais usada no país e a segunda no mundo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.