Tamanho do texto

"Meu objetivo é mostrar mais nuances da transformação de uma pessoa transgênera, os momentos que ela passa e o que leva alguém a ser trans", diz

A representatividade é um tema frequente quando falamos de questões LGBT . Pensando em tornar o clássico universo da Disney mais inclusivo, um artista trans de Nova York decidiu recriar personagens como Cinderela, Aladin e Mulan como se fossem pessoas transexuais .

Leia também: Ilustrações de jovem trans são censuradas por escola e caso tem reviravolta

Por mais representatividade, artista recria personagens clássicos como se fossem pessoas trans
Reprodução/Instagram
Por mais representatividade, artista recria personagens clássicos como se fossem pessoas trans

O artista responsável por repensar os personagens se identifica como uma pessoa trans, mas prefere permanecer anônimo. Ele prefere não revelar a identidade pois quer manter o foco exclusivamente no projeto, não em informações pessoais sobre ele.

Em entrevista ao site “HuffPost”, ele conta que a ideia de criar as ilustrações surgiu quando ele percebeu que as pessoas transexuais ainda não tinham sido representadas pela Disney. “Eu queria quebrar esses clichês para mostrar que as pessoas trans também sonham com o amor e a felicidade”, diz.

A post shared by Trans Disney (@trans.disney) on

Ele comenta que os personagens de filmes clássicos como estes que fazem parte do imaginário das crianças e muitas acabam se apaixonando por eles, mas algumas podem não se reconhecer por não existir nenhum personagem trans ainda.

"Meu objetivo é mostrar mais nuances da transformação de uma pessoa transgênera, os momentos que ela passa e o que leva alguém a ser trans", explica.  

Leia também: Curta infantil "In a Heartbeat" retrata o amor entre dois meninos

A post shared by Trans Disney (@trans.disney) on

Escolha dos personagens

Analisando alguns desenhos específicos, ele comenta que é possível ler elementos do enredo dos filmes como metáforas para a comunidade LGBT. “A Fera, por exemplo, pode ser uma metáfora de um indivíduo que mantém sua verdadeira sexualidade no armário e, então, se parece como um ‘monstro’”, diz.

Ele começou a série de desenhos com a sua personagem preferida “Bela”, do filme “A Bela e a Fera”, por acreditar que ela é alguém forte que sempre se manteve fiel a si mesma e se apaixonou por alguém tão forte quanto ela. “Posso me relacionar com essa história facilmente e acho que muitas pessoas também”, afirma.

A post shared by Trans Disney (@trans.disney) on

Leia também: Transexuais militares são tema de ensaio fotográfico emocionante

Repercussão

Há pouco mais de uma semana o artista criou uma conta no Instagram exclusivamente dedicada aos desenhos que já soma mais de dois mil seguidores. "Estou recebendo uma resposta muito positiva de muitos colegas LGBT, assim como de pessoas que não são LGBT. Isso é apenas o começo!". 


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.