Tamanho do texto

"Era uma imagem em branco acima do meu nome", disse um dos estudantes

Quando os alunos norte-americanos chegam ao fim do ensino médio, eles se preparam para fazer o anuário escolar, um livro que reúne fotos e frases de todos os estudantes. A ideia é que o livro seja uma lembrança eterna daquela fase da vida. Recentemente, uma escola do estado de Missouri foi acusada de homofobia ao censurar dois alunos gays da publicação.

Leia também: Casal se recusa a ser atendido por garçonete lésbica

Escola é acusada de homofobia após retirar fotos e frases de alunos gays de anuário e causa repercussão
Reprodução/Facebook
Escola é acusada de homofobia após retirar fotos e frases de alunos gays de anuário e causa repercussão

O caso apontado como homofobia envolveu Joey Slivinski e Thomas Swartz, que são abertamente homossexuais e escolheram frases que representassem a liberdade sexual para o anuário. “É claro que eu me visto bem, não passei o tempo todo no armário para nada”, escreveu Joey. “Se Harry Potter nos ensinou alguma coisa, foi que ninguém merece viver no armário”, escreveu Thomas.

Os diretores da escola consideraram as frases inapropriadas para o livro e censuraram as citações e as fotos sem consultar os dois estudantes. “Em um esforço para proteger nossos alunos, citações que poderiam ofender outros alunos ou grupos de estudantes não são publicadas”, afirmou a escola em um comunicado oficial.

Leia também: Como fica a vida de quem sofreu um ataque homofóbico?

Reações

“Fui procurar a minha frase no anuário, mas nada estava lá”, disse Joey em entrevista à “KCTV5”. “Tenho orgulho de ser quem eu sou e estou desapontado com o que aconteceu”, completou. Thomas também ficou surpreso ao não encontrar sua foto ao lado de outros colegas no livro. “Era uma imagem em branco acima do meu nome. Eles precisam saber o que fizeram é errado. Quero poder contar minha história às outras pessoas”, disse.

A surpresa não foi apenas dos dois alunos censurados do anuário. Matthew Hunt, membro do conselho escolar, também é gay e fez uma publicação em sua página do Facebook sobre o caso. 

"A intenção era remover citações potencialmente ofensivas e, em vez disso, ofenderam a comunidade LGBT . Eles também ofenderam os colegas de classe e aliados desses jovens que apoiam as frases escritas por Joey e Thomas. As citações dadas representam esses jovens e expressam a seus colegas de classe quem são e o que eles representam", escreveu. 

O membro do conselho escolar seguiu, dizendo sobre a importância de se assumir como LGBT e explicou como as frases não ofendiam ninguém. "Essas citações são inspiradoras", afirma. Matthew finalizou, falando que apoiava publicamente os estudantes. 

Leia também:  30% dos americanos sentem-se desconfortáveis em situações com LGBT

Diante da repercussão e das acusações de homofobia, a escola fez outro comunicado oficial pedindo desculpa aos estudantes. "Nosso ato teve a consequência involuntária de ofender os próprios estudantes. Sinceramente pedimos desculpas a esses alunos", declararam. 



    Leia tudo sobre: gay
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.