Tamanho do texto

Estação em Buenos Aires foi renomeada como Santa Fé-Carlos Jaúregui

A prefeitura de Buenos Aires divulgou em seu Twitter a inauguração da primeira estação nomeada em homenagem a um ativista LGBT, Carlos Jaúregui. Localizada na esquina da Avenida Santa Fé e Pueyrredón, a estação de metrô Santa Fé, que faz parte da linha H, foi reinagurada com o nome de Estação Carlos Jaúregui. Além disso, a estação está cheia de imagens de arco-íris e retratos do ativista. 

Leia também: Novela da Argentina exibe beijo gay no horário nobre e lidera audiência

Estação em Buenos Aires foi inaugurada para homenagear ativista LGBT
Reprodução/Twitter
Estação em Buenos Aires foi inaugurada para homenagear ativista LGBT

Essa medida se tornou um marco mundial porque foi a primeira vez que uma estação de metrô no mundo recebeu o nome de um ativista LGBTO projeto para renomear a estação foi aprovado em primeira votação pelos legisladores de Buenos Aires . A inauguração contou com a presença com a presença do prefeito da cidade, Horacio Rodríguez Larreta, e também com os legisladores Maximiliano Ferraro, Pablo Ferreyra e Carlos Tomada, autores do projeto de renomeação.

De acordo com “Gaceta Mercantil”, um portal de notícias argentino, o prefeito afirmou durante a reinauguração que “isto não é só sua homenagem, mas um ato de justiça com alguém que fez a luta pelos direitos sua vida".

Leia também: Uma lista dos 10 melhores filmes gays que você não viu e não pode perder

Mais detalhes da estação podem ser conferidos no vídeo abaixo:

Sobre Carlos Jaúregui

Nascido em setembro de 1957, Jaúregui foi um grande ativista dos direitos humanos LGBT. Ele foi o primeiro presidente da Comunidade Homossexual Argentina, entre 1984 e 1977. Em 1992, ele liderou a primeira Marcha do Orgulho Gay Lésbico na cidade, que ajudou a impulsionar o primeiro projeto de união civil e a inclusão da orientação sexual na cláusula anti-discriminatória da Constituição da cidade.

Leia também: Conheça o "Viaja, Bi!", site de viagens LGBTs

Ele morreu aos 38 anos, em agosto de 1996, vítima da Aids. Após sua morte, uma procissão fúnebre que reuniu dezenas de pessoas que caminhou pela cidade, desde a Plaza de Mayo até o Cemitério de La Chacarita. A data de sua morte, dia 20 de agosto, é considerada, desde 2012, o Dia do Ativismo pela Diversidade Sexual em Buenos Aires.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.