Tamanho do texto

De vestido vermelho, maquiagem e salto alto, Talles denunciou as opressões sofridas na instituição. Saiba mais sobre o caso

O estudante Talles de Oliveira Faria fez da sua noite de formatura, no sábado (17), palco de protestar contra a postura homofóbica do  ITA  (Instituto Tecnológico da Aeronáutica), em São José dos Campos (SP). Talles, que tem 24 anos e é  gay , cursou engenharia na instituição e durante a solenidade da colação de grau denunciou o preconceito que sofreu durante todos os anos de curso. 

○ Leia também:  Veja como denunciar a homofobia no Brasil

Estudante protestou com maquiagem e vestido vermelho contra a ahomofobia da instituição
Reprodução Facebook
Estudante protestou com maquiagem e vestido vermelho contra a ahomofobia da instituição

Durante a cerimônia, o  estudante  surpreendeu os presentes na hora de receber o diploma. Quando foi anunciado, Talles, que estava com o cabelo descolorido e usava maquiagem, despiu-se e revelou que usava um vestido vermelho e sapatos de salto alto por baixo da beca. O momento foi gravado e divulgado no Facebook da página "Agita" (coletivo  LGBT  do ITA), que já registrou mais de 84 mil visualizações.

A homofobia não foi o único problema apontado por Talles. Ele aproveitou o momento para denunciar também todo o conservadorismo e preconceito que a instituição carrega. Atrás do vestido vermelho também estava escrito a frase direcionada à instituição: "Excelência em machismo, falsa meritocratica, elitismo, homofobia". 

Aluna transsexual quebra tabus e é eleita rainha do baile na Carolina do Norte 

Repercussão

O caso gerou grande repercussão na rede. Nos comentários, enquanto mensagens de ódio e preconceito, típicas dessas situações, foram enviadas ao jovem, muitos internautas o apoiaram, enviando comentários de motivação e até agradecimento.

"Parabéns pela coragem! Continue sua luta por um mundo mais humano! Agradeço pela inspiração!", disse uma internauta. Outro disse: "Você é um orgulho para comunidade LGBT!!!". E para completar: "E não só da comunidade LGBT. Você é um orgulho parar os progressistas e todos aqueles que lutam por liberdade de expressão. Apoiado, irmão!", disse um usuário.

Diante de toda a polêmica do acontecimento, Talles postou em seu perfil pessoal do Facebook um texto explicando tudo o que motivou ele a fazer o protesto. "O ITA era meu grande sonho. Mal sabia que seria a maior decepção de minha vida", desabafou. Ele também fez uma série de denuncias sobre o preconceito e repressão que sofreu no ITA por ser homossexual e, de certa forma, quebrar o padrão imposto pela instituição.

"A Aeronáutica não é homofóbica mas quando você é viado, você tem que ser perfeito: voz grossa pra ser respeitado, sem trejeito, as maiores notas, o melhor físico, nunca falar de homem ou agir de forma descontraída. Nunca falar sobre sua sexualidade. Você pode ser viado desde que nunca aja como um. Pode ser viado mas tem que ser como se fosse hétero. O padrão militar é hétero, mas a Aeronáutica não é homofóbica", escreveu. 

Além disso, o estudante anunciou que fará uma série de vídeos explicando cada uma das denuncias que fez à instituição e propondo soluções para acabar com o problema e tornar o ambiente menos opressor aos alunos LGBT. 

Gays criam estratégias para combater homofobia no seu dia a dia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.