Tamanho do texto

A eleição do republicano incentivou o casal a oficializar a união

Uma grande parte da comunidade LGBT vê a vitória de Donald Trump com maus olhos. A história de Loran Marsan e Jolena Hansbarger, entretanto, é uma razão e tanto para se celebrar.

○ Leia também:  “Na ditadura, a homofobia se consagrou como política de Estado”, diz jurista

Moradoras de Athens, em Ohio, Jolena e Loran decidiram ressignificar a eleição de Donald Trump e marcar a conquista do 45º presidente dos Estados Unidos como um dia  de resistência LGBT.

Donald Trump vence, mas o amor também
Reprodução/Twitter
Donald Trump vence, mas o amor também


As então namoradas estavam tensas com a iminente eleição de Trump. Loran, então, que assistia à contagem dos votos em uma festa do trabalho, mandou a seguinte mensagem para Jolena: "Quer casar comigo se Trump ganhar?". Simples assim.

A resposta de Jolena, cujo contato no celular da esposa está salvo como 'Cigana', foi: "Isso é uma proposta?!" E emojis amorosos.

E elas não perderam tempo: menos de 24 horas após a eleição de Donald Trump, o casal já tinha trocado as alianças e juntado as escovas de dentes. "Eu estava perdendo as esperanças muito rapidamente quando Loran me perguntou se eu queria me casar no dia seguinte", conta Jolena.

Print de mensagem de celular com pedido de casamento
Reprodução/BuzzFeed
Print de mensagem de celular com pedido de casamento

○  O que pensam os gays que apoiam Bolsonaro e rechaçam Jean Wyllys

A cerimônia foi enxuta. Elas enviaram mensagens para amigos próximos e parentes para avisar dos planos, mas nem todos puderam comparecer. Alguns alunos de Loran, que leciona na Universidade de Ohio, também estiveram presentes.

"Nós queremos continuar a protestar e contribuir com a batalha contra a intolerância, e não apenas na questão de casamento igualitário", disse a noiva. Loran também cita a importância da luta pelo direito das pessoas trans e na reforma imigratória.

A equipe de Donald Trump é composta por diversos ativistas anti-LGBT, como o próprio vice-presidente Mike Pence. Este fator não passou desapercebido pela comunidade LGBT, que teme retrocesso quanto aos direitos conquistados pela população.

○  Conheça Romaine Brooks, a artista lésbica que pintou as mulheres de sua vida

Esse medo, acrescido de uma vontade de provar que o amor vence foi o que fez com que Loran e Jolena tivessem certeza da decisão.

Mallory Golski, uma aluna de Laren, ressaltou a importância da união naquele momento: "Definitivamente serviu como um lembrete para todos que, embora a controvérsia em torno de nosso presidente eleito tenha gerado muita negatividade em todo o país, todos ainda podem se unir e mostrar que o amor realmente supera o ódio".

O movimento Love Trump Hate, da comunidade LGBT contra a eleição de Donald Trump, significa 'Amor Supera Ódio' – o sobrenome do empresário é igual ao verbo "superar" em inglês.

    Leia tudo sobre: Donald Trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.