Tamanho do texto

Projeto teve o intuito de alcançar um público muitas vezes desprezado por instituições tradicionais

Fiéis na Parada Gay
Diego Farias
Fiéis na Parada Gay


A igreja Comunidade Cidade de Refúgio (CR) levou para a avenida Paulista cerca de 500 fiéis para marcharem para Jesus durante a maior parada gay do Brasil, conhecida como parada do orgulho LGBT ou LGBTTT( a sigla de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros), nesse domingo (29), em São Paulo.

Líderes da CR, as pastoras Lanna Holder e Rosania Rocha se juntaram também a integrantes de outras instituições religiosas para conversar com os participantes da parada e falar sobre religião e homossexualidade. Elas afirmam que a ação não é somente para os gays. “O evangelho não é exclusivista e sim pluralista”, disse Lanna.

Marcha para Jesus na Parada Gay
Diego Farias
Marcha para Jesus na Parada Gay

Esta é a quinta vez que a Comunidade Cidade de Refúgio participa do evento.  Nesta edição, o grupo realizou o que chama de evangelismo de impacto para levar a mensagem de que a cruz de Cristo não faz distinção, mas alcança a todos por todos". 

O Nutricionista de 31 anos Luiz Eduardo da Silva foi abordado pelo grupo em 2014 e, após receber um folheto, decidiu conhecer mais sobre a comunidade que aceita os gays em seus cultos religiosos.

“Muitos desconhecem a existência dessa igreja inclusiva, um lugar onde não os tratam como aberrações e principalmente um lugar onde não me dizem que estou sentenciado ao inferno”, declara.

Igreja que aceita a homossexualidade

Uma das líderes da instituição religiosa comenta o receio do preconceito por parte dos próprios gays. “Na verdade, sempre enfrentamos o preconceito por parte dos que pensam que somos da igreja tradicional, mas, quando sabem que somos uma igreja que tem a proposta de aceitá-los como são, porque não enxerga a homossexualidade como doença, mas como orientação, a aceitação e o carinho são imediatos”, conta Rosania. 

A TODOS POR TODOS #CidadeDeRefugio #Evangelismo #ParadaGay2016

A photo posted by Dih Farias (@dihfarias13) on

Comunidade Cidade de Refúgio

Fundada em 2011 pelas pastoras Lanna Holder e Rosania Rocha, a Comunidade Cidade de Refúgio é fruto da conscientização da carência de um público específico, os homoafetivos. Embora esse seja o público alvo, a CR não se limita apenas aos gays, mas é uma igreja que prega o evangelho da salvação a todos.

A instituição começou com 15 pessoas e hoje recebe em torno de 2 mil fiéis em nove cidades pelo País: São Paulo, Londrina, Campinas, Praia Grande, Brasília, Natal, São José do Rio Preto, Fortaleza e Curitiba. “Nossos planos incluem fundar igrejas em outros países também, como o México, Argentina e Estados Unidos”, declara Lanna.

Sobre o dia de hoje #Todosportodos

A photo posted by Dih Farias (@dihfarias13) on


* Por Diego Farias, especial para o iGay.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.