Tamanho do texto

Autor da Globo Benedito Ruy Barbosa, escritor da novela "Velho Chico", causou revolta ao dizer: “Odeio história de bicha. Pode existir, pode aceitar, mas não pode transformar isso em aula para as crianças"

Autor de “O Rei do Gado” e “Velho Chico”, Benedito Ruy Barbosa falou sobre a temática gay nas novelas da Globo durante o lançamento de sua próxima trama para a faixa das 21h da Rede Globo, "Velho Chico". “Odeio história de bicha. Pode existir, pode aceitar, mas não pode transformar isso em aula para as crianças. Tenho dez netos, quatro bisnetos e tenho um puta orgulho porque são tudo macho pra cacete”, disse ele em entrevista ao jornal “Extra”. O discurso gerou revolta nas redes sociais, e não é por menos.


+ “Ser bicha hoje é liberdade”: documentário empodera gays e debate homofobia

Querido Ruy Barbosa, me policiei um pouco para tentar não ler sua declaração pois eu tinha certeza que isso ia me deixar aborrecido o resto do dia, mas não teve como: eu li. E eu estava certo: fiquei aborrecido pelo resto do dia.

Mas não chocado. Aliás, não estar chocado com esse tipo de comentário é algo que deveria me deixar chocado (ou espantado) porque isso só representa o quão naturalizado e comum é esse tipo de discurso (coisa que não deveria ser) no nosso cotidiano.

Pelo menos pra mim foi muito fácil explicar para o meu irmão quando ele tinha 8 anos (agora ele tem 11) que eu sou gay. Mas até hoje, nós dois não sabemos explicar o que motiva o preconceito dentro das pessoas e a violência que elas exercem em nossa sociedade"

Ruy Barbosa, você teme que os pais tenham de explicar ao filho sobre duas pessoas do mesmo sexo tendo um relacionamento amoroso na TV, mas complementa dizendo que não acha errado. Para alguém que é escritor, isso acaba por se tornar uma afirmação um tanto quanto contraditória, não? Se o senhor “não acha errado”, qual o problema em explicar? Eu acho dificil explicar para crianças (tenho uma irmã de 3 anos que me questiona sobre cada cor de camisa que eu visto) o motivo de tanta violência em novelas. Acho dificil explicar para uma criança sobre assassinatos, violência e preconceito. Pelo menos pra mim foi muito fácil explicar para o meu irmão quando ele tinha 8 anos (agora ele tem 11) que eu sou gay. Mas até hoje, nós dois não sabemos explicar o que motiva o preconceito dentro das pessoas e a violência que elas exercem em nossa sociedade.

Ruy Barbosa, você diz que precisa tomar cuidado com o conteúdo que você passa na TV pois existem 80 milhões de pessoas te assistindo. E eu concordo, mas que cuidado é esse que você tem tomado? Eu não vejo as novelas tomarem cuidado com as cenas de violência, de morte, de sexo. As novelas só tomam cuidado com as cenas de “beijo gay”, provavelmente por medo de mexer com as calças de muito homem casado que paga de machão por ai, não é mesmo?

É realmente deprimente ler ou ouvir esse tipo de comentário poucos dias depois de uma mais uma morte por crime de ódio. Entre a noite de sexta-feira (5) e a manhã de sábado (6), um homem foi encontrado morto em Florianópolis. Seu nome era Alexandre, ele tinha 32 anos, foi encontrado nu, com pernas e braços amarrados, morto a pedradas. Seu crânio estava praticamente esmagado. Como explicar isso?

Em 2014, um adolescente negro de 17 anos foi encontrado morto de maneira tão brutal quanto a de Alexandre. Seu nome era Kaique Augusto, seu corpo foi encontrado completamente desfigurado na Avenida 9 de Julho, sem dentes, em São Paulo, com uma barra de metal enfiada na perna.

Ruy, você diz que tem 80 milhões de espectadores, 80 milhões de pessoas que poderiam ter seus preconceitos descontruídos um pouco a cada dia se você achasse justo colaborar. Mas, aparentemente, você não acha, já que odeia “história de bicha”.

Mas quer saber o que eu odeio, Ruy?

Homofobia.


Benedito Ruy Barbosa
Thyago Andrade/Foto Rio News
Benedito Ruy Barbosa


Mais de Renan Oliveira no iGay :

+“Identidade, sexualidade e órgão sexual não estão interligados”

+"Como saber se é hora de se assumir gay para a família e amigos?"

+"O gay afeminado sai todo dia na rua dando a cara a tapa"; assista!

+"Não é legal fazer piada com gay, negro, gordo ou travesti"; assista!

Renan Oliveira é colunista colaborador do iGay
Arquivo pessoal
Renan Oliveira é colunista colaborador do iGay

*O paulistano Renan Oliveira , 19 anos, começou a produzir conteúdo na internet para se conectar com o mundo e foi capturado pelo iGay para mostrar seu ponto de vista bem-humorado por aqui.

Futuro estudante de cinema, a maior inspiração na telona é o cineasta Xavier Dolan (sim, o que fez "Hello" da Adele). Já no Youtube, gosta do Luba e da Jout Jout. Pisciano sonhador, ainda acredita em "Telephone" part 2 (aquele clipe da Lady Gaga com a Beyoncé, saca?). 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.