Tamanho do texto

Jo Heywood, diretora de uma importante escola inglesa exclusiva para meninas, declarou que as crianças deveriam ser tratadas com "gêneros neutros"

Escolas que aceitam apenas meninas ou apenas meninos ainda existem e a maioria delas custam uma fortuna, mesmo que já sejam algo muitas vezes tratado como ultrapassado. A diretora de uma dessas escolas, a Heathfield Boarding School, em Scot, Inglaterra, deu uma declaração sobre a maior parte dos sistemas escolares vigentes. 

Jo Heywood defende que se um menino quer vestir a fantasia de uma princesa, ele pode
Lindsay Morris
Jo Heywood defende que se um menino quer vestir a fantasia de uma princesa, ele pode

"Meninos e meninas deveriam ter a oportunidade de explorar os papéis tradicionalmente associados ao sexo oposto. Se um menino quer se aventurar vestindo uma fantasia de princesa ou se uma menina quer vestir uma roupa de bombeiro eles devem ser encorajados a isso. Faça maquiagem nas meninas, mas deixe os meninos fazerem também", declarou Jo Heywood ao Sunday Times. 

Uma pesquisa com mais de 2 mil mães feita pelo site Channelmum.com disse que dois a cada cinco pais com menos de 30 anos tratariam os filhos com gênero neutro. Mesmo assim, a fala da diretora pode ser um choque para os pais que pagam mais de R$ 45 mil na Heathfield, escola de alunos como a Princesa Alexandra, Sienna Miller e outras filhas de famosos. 

A criança tratada pelo 'gênero neutro' deve escolher o que vestir
Lindsay Morris
A criança tratada pelo 'gênero neutro' deve escolher o que vestir


"Colocar uma criança de três anos para vestir roupas do sexo oposto é bobagem e elas podem ser provocadas pelas outras crianças. Esse tipo de tratamento não vai ajudar na causa da igualdade, só vai criar crianças infelizes e desorientadas", comentou Alan Smithers, professor e especialista em educação da Universidade de  Buckingham.

Qual a sua opinião em relação ao tratamento por "gênero neutro"?


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.