Tamanho do texto

O segundo centro para refugiados homossexuais na Alemanha abre amanhã (23) e vai acolher mais de 120 pessoas

teste script

Agência Brasil

O segundo centro para refugiados homossexuais na Alemanha abre amanhã (23) em Berlim e vai acolher mais de 120 pessoas, anunciou hoje (22) Marcel de Groot, que dirige uma associação de aconselhamento dirigida a homossexuais, a Schwulenberatung.

Ali (nome fictício) deixou o Paquistão e encontrou refúgio no Brasil
Reprodução/Larissa Leite/Acnur


O acolhimento será em um edifício de quatro andares no leste da capital alemã, onde 29 apartamentos vão receber 122 refugiados homossexuais e transexuais. Um centro semelhante foi inaugurado em 1º de fevereiro em Nuremberg, no Sul do país e foi o primeiro do gênero na Alemanha.

"Reescrevo a história que negou existência de tantas lésbicas na África do Sul"

Muitos requerentes de asilo homossexuais vêm de países onde sua orientação sexual é considerada um crime, lembrou Groot, em coletiva de imprensa, lamentando que uma vez na Alemanha eles continuem a ser vítimas de violência, verbal ou física, de ameaças e de discriminação por parte de outros refugiados e, por vezes, do pessoal de segurança.

Groot insistiu na “necessidade” de criação do centro para que “as pessoas possam viver sem temer a violência ou a discriminação”.

+  Transexual se prepara para congelar esperma e ser mãe após operação de sexo

“Alguns são ‘apenas’ insultados, outros são ameaçados. Há muitos exemplos. O medo é insuportável. Eu sei, eu vivi isso”, disse Mahmoud Hassino, um jornalista sírio e ativista gay que fugiu da Síria em 2014 e trabalha agora na Schwulenberatung.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.