Tamanho do texto

Após ataques homofóbicos, árbitro da Liga Nacional de Basquete dos Estados Unidos assumiu homossexualidade

Bill foi xingado de “bichinha”, mas demonstrou tranquilidade e evitou qualquer ataque ao jogador
REPRODUÇÃO/NBA
Bill foi xingado de “bichinha”, mas demonstrou tranquilidade e evitou qualquer ataque ao jogador

O árbitro americano Bill Kennedy apita jogos da NBA, a Liga Nacional de Basquete dos Estados Unidos, e assumiu ser gay em entrevista ao site norte-americano Yahoo Sports.

O pronunciamento ocorreu após ele ser ofendido por Rajon Rondo, armador do Sacramento Kings, no último dia 3. No jogo, realizado na Cidade do México, Bill foi chamado de “bichinha”, mas demonstrou tranquilidade e evitou qualquer ataque ao jogador.

“Tenho orgulho de ser árbitro da NBA e também de ser gay”, diz Kennedy. “Estou seguindo os passos de outros que se identificaram na esperança de mandar uma mensagem para os jovens nos esportes de que ninguém deve fazer você se envergonhar de quem você é”, continuou.

Adam Silver, comissário da NBA, apoiou o árbitro após a revelação. “Eu apoio a decisão de Bill de viver com orgulho e abertamente. Além disso, os 18 anos de carreira na NBA, ele tem sido excelente como árbitro, com paixão, dedicação e coragem.”

Rondo foi multado em US$ 86,3 mil (cerca de R$ 322 mil)  além de ficar suspenso por uma partida. O jogador pediu desculpas dizendo que suas “ações durante o jogo foram resultado de frustração e emoção, ponto. Elas não refletem meus sentimentos em relação à comunidade LGBT."

    Leia tudo sobre: NBA
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.