Tamanho do texto

Atriz posou com Malu Verçosa para a capa do CD 'Vinil Virtual'

Daniela Mercury e Malu Verçosa posam para capa do CD 'Vinil Virtual'
Divulgação
Daniela Mercury e Malu Verçosa posam para capa do CD 'Vinil Virtual'

Em dois anos de casamento, Malu Verçosa mudou a vida de Daniela Mercury. A cantora de 50 anos parou de fumar por insistência da mulher, passou a cuidar ao lado dela das três filhas adotivas mais novas ( Márcia, 17, Ana Alice, 13, e Ana Isabel, 6) e expõe a paixão na capa do novo CD, ‘Vinil Virtual’ — na qual imitam a pose clássica de John Lennon e Yoko Ono clicada por Annie Leibovitz. O clima revolucionário não fica só entre as duas: Daniela diz que seu casamento com Malu inspira outras pessoas.

“A gente é meio como Richard Gere e Julia Roberts. Quando andamos na rua, todo mundo cumprimenta a gente”, brinca Daniela. “E muitos dizem que se inspiraram na gente, seja o filho gay que tomou coragem e falou com os pais, a mulher que largou tudo para se casar com o amor da sua vida, ou a pessoa que abandonou tudo para entrar na universidade. Ouvimos tanta coisa boa que dá vontade até de fazer um documentário. Me disseram outro dia: ‘Que bom que você falou a verdade. Dá uma sensação de que tudo pode ser diferente, de que as pessoas não precisam esconder tudo debaixo dos panos’”.

Daniela, a mulher, Malu (de óculos escuros), e as três filhas
Reprodução/Instagram
Daniela, a mulher, Malu (de óculos escuros), e as três filhas

Daniela diz não ver muitas animosidades. Pelo menos não no que diz respeito à opção do casal. “Sofri um ataque absurdo de perfis falsos nas redes sociais, sim. Mas foi porque deixei claro que sou contra a redução da maioridade penal. É uma posição que tenho, inclusive como embaixadora da Unicef”, diz a cantora, que, volta e meia, é alvo de críticas, como as de que estaria expondo a relação com Malu só para aparecer. “Em redes sociais, deixo que a pessoa mostre sua posição. Desde que mostre quem é, que não seja perfil falso”.

‘Vinil Virtual’, o novo disco, vem cheio de composições próprias (algumas em parceria com o filho, Gabriel Póvoas) e de influências da música eletrônica. A foto da capa circulou antes de o disco sair e já foi chamando a atenção. “É a primeira vez que essa pose de John e Yoko, tão emblemática, é feita por duas mulheres, né?”, recorda a cantora, sem problema nenhum de ficar nua. “Às vezes, é preciso você ficar nu para que olhem para a sua alma. A foto é mais uma afirmação feminista do que um discurso anti-homofobia. Mas cada um entende de um jeito, claro.”

Algumas canções falam da vida em família. A axé music ‘A Rainha do Axé (A Rainha Má)’ surgiu quando Daniela começou a ler contos de fadas para as filhas adotivas.

“Eu não consigo ler esse tipo de livro para a Isabel, que tem 6 anos, porque os contos colocam a mulher sempre aos pés do homem para que ele salve a vida dela. Nunca tinha me dado conta disso. Aí falei: ‘Não sou a Cinderela nem a Bela Adormecida, sou a Rainha Má’. A Rainha Má pode fazer tudo do avesso.

Temos que confrontar esse certo e errado que coloca a mulher como submissa”, completa Daniela, que divide a casa com mais novemulheres. “Eu, Malu, três funcionárias, as três filhas e duas cachorrinhas”, brinca. “A Isabel brigou na escola, a professora chamou a atenção dela, e ela disse: ‘Vou falar com minhas duas mães’. A Marcia está com uma paquerinha, e a Malu disse para ela avisar ao garoto: ‘Cuidado que você tem duas sogras!’”, conta, rindo.

Já ‘Sem Argumento’ é o pedido de casamento que Daniela fez para Malu. “Cantei um trecho para ela na época da cerimônia e depois completei. Ficou lindo e espero que inspire muita gente a se casar!”, brinca a cantora.

Leia esta e mais notícias no site do  jornal O Dia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.