Tamanho do texto

Foi aprovada uma lei em Ilha de Malta dedicada a Willa, de 7 anos, que reconhece a identidade de gênero de pessoas trans apenas preenchendo uma declaração em cartório


Divulgação
"Agora estou muito feliz vivendo como uma garota", diz Willa.

“Minha vida vivendo como um garoto era muito ruim”, assim começa o vídeo de Willa Nayor, de 7 anos de idade.

Ela mora com os pais na Ilha de Malta e conta como foi a aceitação da sua família ao descobrirem que tinha uma filha transgênero. “Eles me deixaram viver como uma garota dentro de casa, para que eu pudesse ver se isso era certo para mim”, conta.

Depois que viram a mudança de comportamento, os pais perceberam quem ela realmente era e permitiram a filha se identificar como Willa fora de casa.

Em abril, foi aprovada uma lei no país que possibilita que pessoas alterem legalmente seu gênero apenas preenchendo uma declaração em cartório. A decisão foi considerada mais progressista que qualquer outra aprovada por outros países europeus.

A lei foi dedicada à garota, que incentiva outras crianças trans a viverem da forma que desejarem.  “Nós somos quem somos”, finaliza Willa.

O vídeo, divulgado nas redes sociais, gerou comentários em relação à transição. “Ninguém tem que entender nada! Só ela sabe o que está sentindo e o que se passa com ela. Eu só desejo amor, você pode ser quem você quiser ser”, diz um comentário.

Outra internauta apoia a menina: “Dizem que na infância é quando somos mais sinceros e livres, com os outros e com nós mesmos. Seja feliz Willa, você é linda”.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.