Tamanho do texto

Daniel e Larry são formados na Academia Militar dos Estados Unidos e já serviram ao exército no Iraque e no Afeganistão

Um homofóbico se deu mal ao xingar e tentar agredir um casal gay nos Estados Unidos. Ele não esperava que Larry e Daniel, alvo das manifestações de ódio, fossem militares formados pela West Point, a Academia Militar dos Estados Unidos.

Formados na Academia de West Point, casal deixou hofóbico
Reprodução/Facebook
Formados na Academia de West Point, casal deixou hofóbico "coberto no próprio sangue", como contou Larry em seu Facebook


Após o episódio em um armazém de Soho, em Nova Iorque, Larry desabafou no Facebook: "É difícil acreditar que em 2015 teríamos de lidar com crimes de ódio contra gays em Soho e em todos os lugares", e contou o que fez com o homofóbico que tentou atacar seu parceiro.

"Ele foi deixado coberto em seu próprio sangue, com o rabo entre as pernas, depois de eu ter lidado com a situação e tê-lo jogado na rua como o perdedor covarde que ele é". Larry ainda contou que o departamento de crimes de ódio da Polícia de Nova Iorque está informado sobre o caso.

Leia também:

Como fica a vida de quem sofreu um ataque homofóbico?
Grite, filme, disque 190: veja o que fazer ao testemunhar um ataque homofóbico



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.