Tamanho do texto

Em cena emocionante, personagem sai do armário e conta para Rosemere que passou a noite com Peixinho

Chegou o grande dia da esperada saída do armário do personagem Filipinho ( Josafá Filho ) de “Sangue Bom”, da TV Globo. A cena da novela das 19h vai acontecer no capítulo desta sexta-feira (30). Depois de passar a noite com Peixinho ( Julio Almeida ), ele decide revelar para a mãe Rosemere ( Malu Mader ) que é gay.

CURTA O IGAY NO FACEBOOK 

Na cena, Filipinho chega em casa e encontra a mãe preocupada por ele ter passado a noite fora. “Como é que você some desse jeito, filho? Passa a noite fora, não liga, não leva o celular!”, questiona Rosemere.

Sem rodeios, o personagem conta que passou a noite com Peixinho. Surpresa, Rosemere tenta mudar de assunto, mas o filho não deixa. “Mãe, eu tenho uma coisa pra te dizer”, avisa Filipinho.

Com dificuldade em aceitar a sexualidade do filho, Rosemere se nega a escutar. “Eu não quero ouvir! Eu não vou ouvir... Você não é! Você não é isso que tá pensando! Isso é uma fase, filho! É normal, muita gente passa por isso.”.

Filipinho continua insistindo e finalmente diz: “Isso não é uma fase. Eu sou gay, mãe!”. Rosemere começa a chorar com a revelação. O pai dele entre cena neste momento e se dá conta do que está acontecendo. Perácio ( Felipe Camargo ) apoia o filho e diz que para ele para a mãe dele não faz diferença e nada vai mudar.

“Não faz diferença porque não foram vocês que criaram! Não era você que tinha que ir no colégio semana sim, semana não, conversar com a diretora porque o teu filho apanhava dos colegas e sofria todo o tipo de humilhação!”, retruca Rosemere, dizendo ainda que teme pelo preconceito que o filho poderá sofrer.

Filipinho é uma celebridade instantânea em
Divulgação/TV Globo
Filipinho é uma celebridade instantânea em "Sangue Bom"


Ainda emocionada, Rosemere se explica ao filho. “Só de imaginar o que você vai sofrer, que você vai ser discriminado. Tanta gente ruim e ignorante que tem nesse mundo! Eu não quero que você sofra, você me entende?”.

Filipinho diz que ser gay não foi algo que ele escolheu e que não queria fazê-la sofrer, se desculpando. A sinceridade do filho comove a mãe, que se desarma.

“Não tem nada que pedir desculpa. Você é o melhor filho que uma mãe podia ter. Eu te amo muito e, agora, ainda mais! Te amo, muito, muito”, diz Rosemere, abraçada com o filho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.