Tamanho do texto

Atriz criticou o deputado Marco Feliciano, dizendo que ele cometeu um 'assalto à mão desarmada' ao aprovar o projeto de 'cura gay' na Comissão de Direitos Humanos

Continua redendo a declaração recente da atriz Antonia Fontenelle , na qual ela revelou a sua bissexualidade. Mas ela não está incomodada com repercussão que causou. “Quando falei que sou bi, às vezes, quis dizer que eu gosto de gente, isso não é doença. Não é uma condição, não é estado. Quando eu digo às vezes é porque eu acordo, vejo uma mulher e falo ‘meu Deus que mulher linda’”, explicou Antonia, em entrevista ao programa "Amaury Jr", que vai ao ar na próxima terça-feira (02), na Rede TV!.

“Eu não descarto a possibilidade de um dia me relacionar com uma mulher”, prosseguiu Antonia. 

CURTA A PÁGINA DO IGAY NO FACEBOOK 

Ela contou também que tem muitos homossexuais no seu círculo de amizades. “Meus melhores amigos são gays e eles não são doentes, são pessoas éticas, são pessoas vencedoras, são pessoas inteligentes, não vejo doença nisso”. 

Antonia foi contundente ao falar do  criticado presidente da Comissão dos Direitos Humanos e Minorias do Congresso Nacional, deputado Marco Feliciano (PSC-SP) , que colocou em votação na orgão que preside um polêmico projeto de 'cura gay'. 

“Ele aproveitou um movimento desses, onde as pessoas estão nas ruas, eu vi isso como um assalto à mão desarmada, onde a gente tá focado em algo mais importante e o cara vai ali com os comparsas e assina uma lei e publica”,  criticou Antonia.  

Sobre as criticas de que ela teria feito a declaração para alavancar seu ensaio para a Playboy, Antonia respondeu: "Não quis fazer sensacionalismo, eu sei que independente de qualquer coisa, eu vou vender revista. Porque a minha revista tá lindíssima”. 


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.