Tamanho do texto

Encerrado na madrugada desta quarta-feira, o concurso elegeu a mais bela das drag queens do estado

Já passava das 4 horas da madrugada desta quarta-feira (26), quando a drag queen Shayene Alvim , 21, representante da cidade de São José do Rio Preto, foi coroada como a Miss Gay São Paulo 2013. Realizado num clube do centro paulistano com mais de três horas de atraso, o concurso de beleza teve 19 candidatas disputando o título de mais bela drag queen do estado de São Paulo.

CURTA A PÁGINA DO IGAY NO FACEBOOK 

Depois de coroada, a vencedora mostrou que o seu reinado será apenas um exercício de vaidade. “Como miss, vou levar a beleza e a causa LGBT para aonde puder, inclusive no combate da cura gay e de outros projetos negativos para a comunidade”, disse Shayene, em entrevista ao iGay .

Esse não foi o primeiro Miss Gay de Shayene, ela já participou da disputa outras vezes. “Estive por dois anos afastada dos concursos para me preparar melhor. Melhorei minha simpatia e minha maquiagem, isso me ajudou muito”, contou ela, revelando os motivos que a levaram a vencer.

A atriz Mariana Mesquita e a empresária Cozete Gomes , famosas por sua participação no reality show “Mulheres Ricas” (Band), estavam entre os 12 integrantes do time de jurados que escolheu Shayene a mais bonita da noite.

Cozete, que já foi miss e também participou de vários júris deste tipo de concurso, tem uma lista de critérios na hora escolher a sua favorita. “Minha análise vai desde a postura na passarela, do andar, da elegância, da pergunta, do glamour. É um conjunto de tudo. Mas ela tem que ter o sex appeal da drag. Tem que ser bafônica para vencer”, explicou a empresária.

Apresentadora da festa, a drag queen Silvetty Montilla não deixou passar em branco a presença das ‘mulheres ricas’ no júri. “Não que eu precise, mas que tal vocês me convidarem para jantar e liberarem dois vestidos? (Em troca) dou esse anel aqui que vale R$ 5 ou sete apartamentos em Diadema”, provocou Silvetty.

Mas Silvetty também falou sério, aproveitando o microfone para criticar o presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, Marco Feliciano , e o seu contestado projeto que permite o tratamento psicológico para ‘reversão’ da homossexualidade.

“Sei que você (Feliciano) vai ouvir isso. Você falou que eu sou doente. Pois eu sou doente há 45 anos, sou doente de felicidade. Mas se for para nos tratar como doente mesmo, quero bolsa leite, bolsa casa, bolsa tudo. Isso não tem, né? Então, fica o recado, a gente quer é respeito”, declarou Silvetty debaixo de muitos aplausos.

A Miss Gay São Paulo 2013 Shayene é entrevistada por Silvetty Montilla
André Giorgi
A Miss Gay São Paulo 2013 Shayene é entrevistada por Silvetty Montilla


Além da premiação principal, o concurso também deu prêmios para outras participantes. Susan Joly , a miss Lorena, foi eleita a mais elegante e também do melhor penteado. O tradicional título de Miss Simpatia ficou com Melissa Ferrari , representante da cidade de Sorocaba.

Uma homenagem especial foi concedida a apresentadora da Band Nadja Haddad , que apresentou o Miss Gay São Paulo em outras edições e é apoiadora da causa LGBT. “Os gays estão em uma situação muito impactante e critica atualmente, com questões como a do projeto da chamada “cura gay”, observou Nadja, agradecida com o reconhecimento.

Shayene Alvim agora tem um ano para reinar absoluta como a mais bela de São Paulo. Neste período, a drag não pode fazer nenhuma alteração física no corpo, como com colocar implantes de silicone. Se descumprir a regra, ela perde a cora,

No dia 17 de agosto próximo, Shayene vai disputar, na cidade de Juiz de Fora (MG), o título nacional de mais bonita, no Miss Brasil Gay.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.