Tamanho do texto

Atriz faz o papel de Lota de Macedo Soares, arquiteta brasileira que teve um romance no Rio de Janeiro dos anos 50 com a poeta americana Elizabeth Bishop

Poster oficial do filme, com Gloria Pires e Miranda Otto nos papeis principais
Reprodução
Poster oficial do filme, com Gloria Pires e Miranda Otto nos papeis principais

Glória Pires e a atriz australiana  Miranda Otto fazem um casal em "Flores Raras", que estreia nos cinemas brasileiros em 16 de agosto. Dirigido por Bruno Barreto, o filme conta o romance entre a arquiteta brasileira Lota de Macedo Soares , responsável pela concepção e realização do Aterro do Flamengo, e a poeta americana Elizabeth Bishop , que chegou de navio ao Rio de Janeiro nos anos 50. O que seria uma escala em sua viagem pelo mundo acabou se tornando estada definitiva.

Gloria Pires: "Foi meu papel mais ousado"

O 19º longa-metragem de Bruno Barreto já foi exibido nos festivais de Berlim e Tribeca, em Nova York. A primeira exibição para o público de "Flores Raras" aconteceu em sessão de gala na 63ª edição do Festival de Berlim, em um cinema de 1600 lugares. Selecionado para a Panorama, a mostra paralela mais importante do evento, o filme foi bastante aplaudido. 

O filme mostra o amor que surgiu entre duas mulheres praticamente opostas. Lota de Macedo Soares era forte, positiva, empreendedora, auto-confiante. Elisabeth Bishop era uma mulher sofrida, com história familiar complicada, emocionalmente frágil e alcoólatra. Sem família ou residência fixa, a poeta passava a vida viajando, de hotel em hotel.

Sua chegada ao Rio, que deveria ser uma escala em mais uma de suas viagens, acabou proporcionando o encontro com Lota e, com ele, com uma nova Elizabeth. A história das duas já foi contada no teatro, em montagem assinada por Marta Góes, com a atriz Regina Braga no papel de Bishop. A peça se chama "Um Porto para Elizabeth Bishop".

VEJA O TRAILER DO FILME:



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.