Tamanho do texto

Festival de cinema LGBT publicou anúncio no jornal com um convite para Marco Feliciano, que disse que vai. Jair Bolsonaro disse sim também, mas não quer ver filme algum

Depois de receber uma resposta positiva do deputado Marco Feliciano (PSC-SP), o Festival Mix Brasil, dedicado ao cinema gay,  convidou também outro notório desafeto da comunidade LGBT para participar da sua 21ª edição,  em novembro. Jair Bolsonaro (PP-RJ), conhecido por suas posições ultraconservadoras, disse que vai - pela discussão e não pelos filmes.

"Não sou chegado em rabo cabeludo", disse ele, com a sua candura de sempre. "Não vou assistir a nenhum filme gay. Se for para isso que estão me chamando, estão de brincadeira", disse. "Seria bom mesmo uma mesa para debater sobre família. Até convenceria muitas pessoas de que estão no caminho errado, mas quero é mudar essa gana deles para estimular meninos a virarem gays", disse, classificando de "propaganda gay" o material didático antidiscriminação preparado pelo governo federal para ser distribuído nas escolas públicas.

O festival espera convidar ainda outros inimigos da comunidade LGBT, como a cantora Joelma e o pastor Silas Malafaia.


Convite aberto ao deputado Jair Bolsonaro
Divulgação
Convite aberto ao deputado Jair Bolsonaro

Os convites a Marco Feliciano e Jair Bolsonaro partiram de uma campanha publicitária do festival, desenvolvida pela agência Neogama BBH. Tanto um quanto o outro vieram por meio de um anúncio de página inteira publicado no jornal Folha de S. Paulo.

“Senhor Bolsonaro, o senhor é pop. Suas declarações homofóbicas viraram tema em mesa de bar, redes sociais e programas de auditório... Em vez de comprar a briga, vamos fazer diferente, queremos convidar o senhor para o 21º Festival Mix Brasil de Cultura e Diversidade", diz o anúncio. 

"Pensamos diferente sim, senhor Bolsanaro. Mas nem por isso incorremos no erro fácil do toma lá, dá cá... Venha, senhor Bolsonaro, ou não venha, se não quiser. Afinal é de liberdade que estamos falando", provoca o final do convite . 

Outras quatro personalidades que se manifestaram publicamente contra os relacionamentos homoafetivos vão ser convidadas. Segundo a organização do festival, o pastor Silas Malafaia e cantora Joelma , da banda Calypso, serão os próximos a receber o convite. 

Assim como Feliciano e Bolsonaro, Malafaia é crítico contumaz da avanço legal que a comunidade gay tem conquistado, como a recente aprovação do casamento entre pessoas do mesmo sexo pelo Conselho Nacional de Justiça . Os três inclusive foram alvo de protesto do movimento LGBT nesta semana em Brasília, como mostra a galeria de fotos acima. A campanha pretende sensibilizar a opinião pública, mostrando que o preconceito não faz parte do ideário do movimento LGBT.

Leia mais no iGay: 
Jean Wyllys: "Quem demoniza o modo de vida gay acaba criminalizando a cerveja"
Reação à homofobia dá largada à 17ª Parada do Orgulho Gay de São Paulo
Joelma nega que tenha comparado homossexualidade à dependência química




    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.