Tamanho do texto

Segundo estudo da SP Turis, renda semanal dos estabelecimentos gay friendly paulistanos passa de R$ 1,14 milhão para R$ 3,2 milhões durante o feriado do evento

Os estabelecimentos comerciais paulistanos dedicados ao público LGBT já devem estar com saudades do Parada Gay de São Paulo, a julgar por um novo estudo do orgão de turismo da capiltal paulista. O levantamento da SPTuris indicou que o evento eleva o faturamento deste tipo de negócio em 280%.

CURTA A PÁGINA DO IGAY NO FACEBOOK 

Levando em conta o ano de 2012, o estudo mostrou que os comércios gay friendly paulistanos faturam normalmente R$ 1,14 milhão por semana. Durante a Parada do Orgulho LGBT, o total arrecadado sobe para R$ 3,2 milhões.

Veja imagens da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo: 

A frequência de público também registra um aumento considerável. Em média, esses negócios recebem normalmente 44,9 mil pessoas entre sexta-feira e domingo. No fim de semana da parada, o contigente dobra, chegando 94,8 mil. 

Sócio da casa noturna Club Yach e funcionário da Lions Night Club, o empresário Bob Young confirma esse aumento de público durante o feriado (Corpus Christi)  em que a parada é realizada, inclusive agora em 2013. 

"A frequência em ambas os lugares aumentaram neste ano. É difícil mensurar, porque as festas das duas casas estão sempre bem cheias. Porém, fica evidente o aumento da demanda", explica Bob.

Ele exemplifica contando que a casa que ficou lotada mais cedo no último sábado (01), dia que antecedeu a parada. "Iniciamos o sistema de rodizio, onde só se entra na casa quando alguém sai, 1h da madrugada, algo que nos finais de semana só costuma acontecer por volta das 3h”, revelou.

Realizado pelo núcleo de pesquisas da SPTuris, o Observatório do Turismo, o estudo revelou ainda que a cidade de São Paulo tem 78 estabelecimentos voltados para o público LGBT, como casas noturnas, bares, restaurantes, hotéis e festas periódicas. A maior concentração de estabelecimentos gay friendly está na região de Pinheiros, na área entre a Paulista e o Jardins e no Centro. Os bairros Barra Funda, Butantã, Vila Mariana, Brás, Ipiranga e São Mateus também aparecem no levantamento. 

Outro dado apresentado foi o gasto médio de cada turista que visita São Paulo por conta da parada. Num periodo médio de 3,6 dias, o visitante gasta R$ 1.272,45. Por noite, o valor chega a R$ 226,80.

Presidente da SPTuris, Marcelo Rehder  conta que o visitante LGBT costuma aproveitar bastante o equipamento cultural e de entretenimento de São Paulo, retornando várias  vezes à capital paulista. "Ele não só volta, como promove o destino para seus amigos”, observa Rehder. 

“A cidade possui uma imensa oferta de atrativos gay friendly. Não à toa, em 2012, a cidade de São Paulo foi eleita o quarto melhor destino gay do mundo pelos internautas do site internacional especializado GayCities.com”, acrescenta o presidente da SPTuris.  

Durante todo o ano, os estabelecimentos da cidade de São Paulo voltados para o público gay faturam juntos R$ 59,5 milhões. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.