Tamanho do texto

Cineasta baiana Ceci Alves se inspirou na história das travestis Luana e Joice, que foram abordadas em Salvador por homens armados e obrigadas a entrar no mar. Luana morreu afogada, Joice sobreviveu e denunciou o crime

Os atores Rodolfo Lima e Rodrigo Porto durante as filmagens
Divulgação
Os atores Rodolfo Lima e Rodrigo Porto durante as filmagens

A travesti "Nem" ( Rodolfo Lima ) brilhava nos palcos da capital baiana, em 1998, quando uma tragédia mudou a sua vida. Vítima de homofobia em uma praia de Salvador, ela testemunhou a morte de sua amiga "Joy" ( Rodrigo Porto ), denunciou o crime, foi perseguida e se viu obrigada a fugir do Brasil pelo programa de proteção de testemunhas. A história, retratada no curta-metragem de ficção "Da Alegria, do Mar e de Outras Coisas", será exibida nesta quarta-feira (29), no Espaço Parlapatões, em São Paulo.

A cineasta baiana Ceci Alves, que diz ter feito uma alegoria da violência
Divulgação
A cineasta baiana Ceci Alves, que diz ter feito uma alegoria da violência

Dirigido pela cineasta baiana Ceci Alves , o curta foi inspirado na história real das travestis Luana ( Júnior da Silva Lago) , de 22 anos, e da também travesti Joice ( Jocimar Oliveira do Carmo ). As duas foram abordadas por homens armados e obrigadas a entrar no mar. Luana Morreu afogada, Joice sobreviveu. Ceci, que também é jornalista, se baseou em reportagens publicadas na época do assassinato para escrever o roteiro do filme.

"O filme é, na verdade, uma alegoria da intolerância. Partiu de uma história que me chocou muito. Policiais se aproximaram de duas travestis na orla de Salvador, levaram-nas para uma praia distante e as obrigaram a entrar no mar sob a mira de um revólver. Uma morreu afogada e a que sobreviveu, depois de denunciar o crime, foi perseguida e teve que fugir do Brasil", conta Ceci.

O curta mostra a consequência da coragem de "Nem" ao tornar público o episódio de homofobia. Para o ator Rodolfo Lima, que interpreta o personagem o filme tem uma missão importante. "Acho essencial jogar luz num episódio como este”, comenta ele, que já participou de outros filmes com a temática homoafetiva.

Cena do personagem Nem no curta
Divulgação
Cena do personagem Nem no curta

"Apesar de tratar da questão LGBT no meu curta, quis falar às pessoas sobre a questão da intolerância, mais do que fazer um filme de nicho", afirma a diretora. "Quis sensibilizar o público e mostrar que ali reside um ser humano, que está pagando um preço por causa de suas escolhas, o que é um absurdo, uma coisa louca", acrescenta.

Ceci ambientou a história em vários locais de Salvador, como a praia de Patamares, o Cine Solar Boa Vista e o bar Âncora do Marujo, tradicional espaço para shows de transformismos na capital baiana. As gravações duraram cinco dias. Depois da exibição em São Paulo, o filme vai concorrer no Rio Gay Festival de Cinema, em julho deste ano.



SERVIÇO:
Da Alegria, do Mar e de Outras Coisas
Data: 29 de maio de 2013
Local: Espaço Parlapatões (Praça Franklin Roosevelt, 158 – Consolação)
Horário: 23h/Preço: R$ 5



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.