Tamanho do texto

Nos moldes do evento anual realizado pelos parques da Disney, parque de diversões paulista realiza “Gay Day” dedicado à diversidade, sem perder a alegria e o lado lúdico

Genilsa Gomes , 43, é uma cozinheira de sorriso fácil e pouco mais de um metro e sessenta de altura. Acompanhada de Morgana Stricker , uma drag queen de 28 anos e quase dois metros em cima de seu salto de 20 centímetros, chamou a atenção da equipe do iGay , assim como de todos que se divertiam no Hopi Hari, neste sábado (25), na cidade de Vinhedo (a 72 km de São Paulo).

Curta o iGay no Facebook

Participando da 13ª edição do Gay Day, evento que celebra a diversidade, a dupla estava ali para assistir a apresentação de Gisele Poppovic , amiga drag de Morgana e filha de Genilsa. “Sinto o maior orgulho dela, acho ela linda” conta a cozinheira. Sua acompanhante complementa: “Essa daí é mais fervida que eu, vai em todos os concursos da filha, acompanha tudo", diz, rindo.

O público extravagante não interferiu no clima familiar para Flavia Tardellim , 39. Enquanto o marido corria atrás da filha pequena, a gestora de call center contava, ao lado do mais velho,  Henrique , 8, que eles só souberam do evento ao chegar ao parque. “Fomos avisados na entrada do estacionamento e nem pensamos duas vezes em entrar, conversamos muito com as crianças e elas sabem que existem gays e héteros e que é tudo normal.”

De mãos dadas, as estudantes Sarah Vauchn , 20, e sua namorada, Jéssica Furdoni , 20, eram um dos muitos casais que passeavam pelo parque. Acompanhadas pelo casal de amigas  Huri Ignacio , 19, e Marina Lema , 19, que namoram há um ano e sete meses, contaram que são participantes ativas de eventos voltados ao público LGBT, e que juntas costumam ir a paradas e festas. “A gente se sente em casa, a galera é mais animada e não tem preconceito, podemos andar de mãos dadas tranquilamente”, explica Huri.

Há também quem veio de longe para o evento.  Bruno Santos , 31 é técnico de enfermagem em Recife. De passagem por São Paulo, se deparou com a celebração e, em busca de diversão, encontrou a administradora Paula Rocha , 23, acompanhada de seu melhor amigo gay, Marcelo Santos , 23, na fila do ônibus que levava ao parque. Em cima de um salto 15, Marcelo contou que usa o acessório em todos os eventos gays de que participa: “Adoro, aqui ninguém te julga. Mas não dá pra usar no dia a dia”. 

Mãe orgulhosa e amiga montada vão ao Gay Day ver apresentação da drag Gisele Poppovic
Gay Day Hopi Hari 2013
Mãe orgulhosa e amiga montada vão ao Gay Day ver apresentação da drag Gisele Poppovic

Como não poderia deixar de ser, o “Gay Day” contou com as cores e plumas das drag queens e transformistas. Nos teatros do parque, rolaram apresentações de nomes conhecidos na noite paulistana, como Silvetty Montilla , e figuras como Hayanna Bertholini , 30, e Nikita Bertholini , 28, deram pinta nas filas divertindo o público. “Hétero adora drag, né? As crianças, então, enlouquecem: tiram foto, me chamaram até de Tia Eliana. Só não mostrei os dedinhos porque ficava chato”, diz Nikita, sem perder a piada. Sobre o evento, diz que tem um carinho enorme, tendo participado desde a primeira edição. Ao todo, foram 13 Gay Days até hoje, mas nem todos aconteceram no Hopi Hari. Algumas das edições foram realizadas no finado parque Playcenter.

A transformista Ioio Vieira de Carvalho , que não quis revelar a idade, reforça a importância de participar desse tipo de atividade. “Onde abrir um espaço pra comunidade, a gente tem que estar, tem que prestigiar. Fui criada na Amaral Gurgel (reduto gay no centro de São Paulo), onde não se podia andar montada sem medo de morrer.”

A gente adora o Gay Day. As drags tiram foto com a gente, é muito mais animado." (Marlen Flusine, funcionária)

Funcionária do parque há 10 anos, Marlen Flusine , 61, conta que trabalhou em todos os eventos LGBT do parque e demonstra animação. “Adoramos, as drags tiram foto com a gente, é muito mais animado”. Acompanhada da recém contratada Ana Caroline , 19, descobriu que a pupila era lésbica na comemoração. Ana afirmou que o público do evento é muito mais educado e tranquilo e, sobre a namorada que ficou em casa, falou, tímida. “Ah, ela achou legal mas ficou com ciúmes, né?”. A reportagem do iGay informa à namorada da Ana: relaxa, ela estava bem comportada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.