Tamanho do texto

Presidente da Associação Internacional de Viagens Para Gays e Lésbicas destaca cidade do Sul e revela a melhor maneira de escolher lugares que recebem bem o público LGBT

Os viajantes gays estão cada vez mais importantes no radar das empresas de viagem, que têm gasto milhões para atrair esse público. Mas John Tanzella , presidente da Associação Internacional de Viagens Para Gays e Lésbicas (IGLTA, na sigla em inglês), alerta que nem todas elas merecem o rótulo de ‘empresa amiga dos homossexuais’.

CURTA A PÁGINA DO IGAY NO FACEBOOK

"Por exemplo, não adianta nada um hotel fazer uma campanha publicitária para o público LGBT, mas não tratar com igual respeito os seus funcionários gays”, alerta Tanzella. "Você tem que estar com a sua casa em ordem antes de começar a ir atrás desse mercado”, completa.

Fundada em 1993, a IGLTA é uma associação que reúne as empresas de turismo que trabalham com o público gay. Além de pagar uma taxa, os associados também têm que seguir normas que garantam um bom tratamento aos viajantes LGBT.

Confira tudo sobre os melhores destinos no Guia Gay 

Leia a seguir uma entrevista de Tanzella, na qual ele revela como escolher destinos turísticos que recebem bem os turistas gays.

Como os viajantes gays podem avaliar se uma empresa ou destino turístico é receptivo ao público LGBT?

Você pode começar checando o nosso site, que lista tudo, agências de viagens, hotéis, companhias aéreas, empresas de cruzeiros, serviços de aluguel de carros, restaurantes e bares. As companhias que pagam para estar em nosso site devem seguir nosso código de ética, que exige que os viajantes LGBT sejam bem acolhidos e tratados com respeito, assim como qualquer outro cliente.

Que empresas estão se destacando no atendimento ao público LGBT?

As companhias aéreas Delta e American Airlines são algumas das empresas que merecem ser destacadas, elas têm sites próprios para os viajantes LGBT e apoiam ONGs envolvidas na causa gay. As redes de hotéis de luxo Hilton, Hyatt e Kimpton também são bastante envolvidas com o nosso público. A Kimpton faz promoções especiais nos destinos que têm semanas do Orgulho Gay, e produz também informativos especiais LGBT.

Quais são as recomendações para os viajantes gays que vão para o estrangeiro?

Se você está indo para algum local que não é um destino turístico popular, é importante fazer uma pesquisa na internet para descobrir quais áreas desse lugar são amigáveis e seguras. Se a pessoa ou o casal tem filhos, é importantíssimo levar os documentos que comprovem parentesco ou a custódia dos deles. Também é importante consultar o site da Associação Internacional Gay e Lésbica (ILGA, na sigla em inglês). Lá você pode saber quais países não recebem bem o público LGBT e pior, ainda criminalizam as relações entre pessoas do mesmo sexo. Aliás, todos os viajantes, heterossexuais e gays, devem observar as leis e costumes do país que vão visitar. Quando o lugar parecer perigoso, é melhor evitar.

Recentemente, a França legalizou o casamento e adoção para casais do mesmo sexo, mas enfrentou um forte protesto de oposição a essa lei. Um holandês, que passeava com seu namorado em Paris, foi espancado. Esses são motivos para os viajantes LGBT se preocuparem?

Não. Paris é um destino muito popular para os viajantes gays e totalmente seguro. Basta ficar longe de marchas onde houve incidentes. Grupos extremistas aproveitam essas manifestações de confronto com a polícia para protestar, na verdade, contra o governo.

Que lugares se tornaram mais abertos aos viajantes gays nos últimos anos?

A América do Sul se destacou bastante nos últimos anos, principalmente nos países México, Peru e Brasil. No Brasil, São Paulo e Rio de Janeiro eram os destinos principais, mas Florianópolis tem surgido como um destino gay importante.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.