Tamanho do texto

Dia 19 de maio tem parada gay em Maringá, no Paraná. É a segunda edição do evento, que no ano passado reuniu 8 mil pessoas

Maringá, cidade de 370 mil habitantes no Paraná, se prepara para sediar sua segunda parada gay, no dia 19 de maio. Maringá é a terceira maior cidade do estado, ficando atrás apenas de Londrina e da capital, Curitiba, que também tem a sua parada gay - este ano a 18ª edição será realizada no dia 29 de setembro.

VEJA A PROGRAMAÇÃO DAS PARADAS NO BRASIL E NO MUNDO

"No ano passado reunimos 8 mil pessoas, este ano estamos preparados para receber a partir de 2 mil pessoas", diz Luiz Modesto , presidente da AMLGBT (Associação Maringaense de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais).

Cartaz polêmico da parada gay de Maringá em 2012
Reprodução
Cartaz polêmico da parada gay de Maringá em 2012

Em 2012, uma confusão em torno do cartaz da parada ajudou a popularizar o evento. Inspirada na capa do disco "The Dark Side of the Moon", do Pink Floyd, a artista plástica Elisa Riemer criou o cartaz usando a imagem da Basílica Nossa Senhora da Glória, símbolo de Maringá, refletindo um facho de luz com as cores do arco-íris.

O cartaz irritou a igreja católica, que alegou que a imagem confrontou a opinião religiosa da cidade, e pediu a retirada do cartaz. "Maringá é uma cidade nova, de 66 anos, que nasceu com um peso religioso muito grande. A raiz religiosa e fundamentalista é muito forte, inclusive nas instâncias públicas. Tudo aqui enfrenta muita resistência", conta Luiz Modesto. "Mas a polêmica em torno do cartaz foi muito boa para a gente, serviu como divulgação. Fizemos uma parada mais robusta do que esperávamos", diz ele, que não tem ideia de como será o comparecimento este ano. "Maringá é uma cidade complicada para ser gay, as famílias são muito preconceituosas, estamos tentando desconstruir essa homofobia familiar. No ano passado, 73 adolescentes foram expulsos de casa depois de declarar sua orientação sexual. E com relação ao índice de assassinatos de travestis, Maringá fica atrás apenas de Curitiba - que é bem maior, tem quase 2 milhões de habitantes."

Segundo dados levantados pela AMLGBT, números atualizados em dezembro de 2012 da violência contra homossexuais em Maringá dão conta de que houve 26 tentativas conhecidas de suicídio de adolescentes gays (12 dessas tiveram a religiosidade dos pais ou do próprio adolescente como agravante), 4 suicídios confirmados, 6 travestis assassinados nos ultimos dois anos, 49 casos de agressão por motivo de homofobia no último ano.

PROGRAMAÇÃO DA SEMANA DA PARADA GAY

Em 2013, o cartaz não vai ferir suscetibilidades
Reprodução
Em 2013, o cartaz não vai ferir suscetibilidades

Estão programadas várias atividades para a semana que antecede a II Parada LGBT de Maringá.  A Semana de Combate à Homofobia tem como tema "Estado Laico e os Direitos Humanos" e vai discutir a liberdade sem a coação das religiões.

Entre os assuntos que a AMLGBT planeja tratar estão a influência do fundamentalismo religioso nas liberdades individuais e nos conselhos profissionais, a saúde da população LGBT e o aceitamento dos filhos homossexuais por pais e mães. O polêmico projeto de "cura gay" também será discutido.

A concentração para a parada será no Centro de Convivência Comunitário Deputado Renato Celidônio a partir das 15 horas. O trajeto percorre a Avenida XV de Novembro, passa pela São Paulo, segue pela Prudente de Morais até o estacionamento do Estádio Regional Willie Davids. A homenageada é a atriz e ativista trans paranaense Maite Schneider .

Confira a Programação da semana toda:

14/05 – 09:00 – Audiência Pública Escola sem Homofobia – Plenarinho da Câmara Municipal de Maringá. "Apresentamos o projeto Escola sem Homofobia em 2010, e ele foi derrubado pelo então prefeito, Silvio Barros (PP)", conta Luiz Modesto. "No fim de 2010 o projeto voltou para a Câmara, os vereadores derrubaram o veto e sancionaram a lei. Mas até hoje a lei segue apenas no papel, o projeto nunca foi colocado em prática."

14/05 – 19:30 – Debate sobre Transfobia – Auditório do CCE, no Bloco F67 da Universidade estadual de Maringá

15/05 – 19:30 – Debate: Estado Laico e os Direitos Humanos – Auditório do DFE, Bloco H12 da Universidade estadual de Maringá

16/05 – 19:30 – Palestra: A investida intervencionista no Conselho de Psicologia: O PDL da “Cura Gay” – Auditório do CCE, no Bloco F67 da Universidade estadual de Maringá

17/05 – 19:30 – Mesa redonda: A saúde da população LGBT – Auditório do CCE, no Bloco F67 da Universidade estadual de Maringá

18/05 – 15:00 – Grupo de Pais, Mães e familiares de LGBT – MUDI – Museu Dinâmico Interdisciplinar da universidade estadual de Maringá

18/05 – 23:45 – Festa Lexus no Porto Café

19/05 – 15:00 – II Parada LGBT de Maringá – Concentração no estacionamento do Centro de Convivência Renato Mauricio Celidônio

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.