Tamanho do texto

Issak, que nasceu mulher e mudou de sexo para homem, foi obrigado por colégio a concorrer na categoria "Rainha do Baile"

Issak Wolf
Reprodução
Issak Wolf

Estudante do último ano do colégio Red Lion na Filadélfia (EUA), o americano  Issak Wolf , 18 anos,  se candidatou ao título de "Rei do Baile" da sua escola, mas foi impedido pela direção da instituição de concorrer nesta categoria, que optou por colocá-lo para disputar a coroa de "Rainha do Baile".  

O estudante é um transhomem - nasceu mulher e está em processo de mudança de gênero para o sexo masculino. 

Wolf, que fez campanha pelo título, pediu a comissão de formatura para ser listado na cédula de votação do concurso com o seu gênero atual, o masculino.

No dia da formatura e da eleição, Issak se surpreendeu ao se ver colocado na cédula na lista dos concorrentes ao título de rainha, com o seu nome de batismo, Sierra Wolfe. “Para uma pessoa transexual, é degradante passar por isso sem nem sequer ser avisado", disse Wolfe ao jornal "York Dispatch". 

Curta a página do iGay no Facebook

Em comunicado, a direção do colégio disse que não ia comentar o acontecido, dizendo apenas que faz o melhor para manter a segurança e o bem-estar dos alunos da escola. 

A situação veio a público depois que a irmã de Issak postou a história dele em seu em seu Tumblr, dizendo que que seus pais irão processar o diretor da escola, Mark Shue, por discriminação. 

"Eu sou de uma pequena cidade rural na Pensilvânia. Tenho um irmão, Issak, que é transexual, estou muito orgulhosa com o quão longe ele foi e o progresso que ele fez. Seus amigos e familiares deram todo o amor e apoio, no entanto, diariamente ele enfrenta discriminação, especialmente em nossa escola. Lembro que Issak quase não quis ir ao baile no seu último ano por causa da m**** que ele pode ter que aturar. Quando soube que ele estava concorrendo a Rei do Baile fiquei muito orgulhosa e feliz por ele. Ele tinha um monte de gente da sua turma, que teria votado por ele e poderia até mesmo ter vencido, exceto por uma coisa: o diretor não permitiu que isso acontecesse. Sr. Mark Shue se recusa a reconhecer Issak como homem. Mr. Shue mudou o nome de Issak para o de batismo na cédula de eleição. Issak está absolutamente devastado e inconsolável. Este é um grande revés para todo o progresso que ele fez, e é igualmente doloroso para mim como sua irmã. O diretor, Sr. Mark Shue, está deixando sua próprias crenças pessoais e fanatismo interferir em seu trabalho. Isso é uma injustiça e é discriminação pura. Pessoalmente, estou indignada, assim como meus pais, que querem levar isso à justiça. Então vemos no tribunal Sr . Shue!", escreveu a irmã de Issak, numa publicação que foi curtida mais de 30 mil vezes.  

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.