Tamanho do texto

Pastor e deputado se comparou ao Papa Francisco e negou acusação de que é homofóbico

O pastor e deputado Marco Feliciano acusou a cantora Daniela Mercury de oportunista
Carol Mendonça/Divulgação
O pastor e deputado Marco Feliciano acusou a cantora Daniela Mercury de oportunista

O pastor e deputado Marco Feliciano (PSC-SP) que vem se envolvendo em incontáveis polêmicas desde que foi eleito presidente da Comissão dos Direitos Humanos e Minorias (CDHM),  é o entrevistado desta quarta-feira (17) do programa "Amaury Jr", da Rede TV!

Curta a página do iGay no Facebook

Feliciano, acusado de ser homofóbico por conta de suas declarações, falou sobre a cantora Daniela Mercury , que assumiu seu romance com a jornalista Malu Verçosa .

“Homossexualismo é um fenômeno comportamental. Não sou fã de Daniela, eu sinto muito pelo que ela deve estar sofrendo, ela jamais teria sido capa de revista Veja se não fosse este momento, existe oportunismo”, afirmou Feliciano. 

Veja também: Artistas e personalidades criticam presidente do CDHM, Marco Feliciano

O deputado se disse perseguido pela imprensa e afirmou não ser preconceituoso ou homofóbico.

“Homofobia é uma doença, são pessoas violentas ou assassinas, eu tenho é posicionamento, não sou homofóbico. Sou contra o casamento gay por princípio. Na Constituição Brasileira a união estável é reconhecida entre homem e mulher. Segundo a bíblia isso também não é casamento. O Papa Francisco pensa como eu.” declarou.

O deputado afirmou ainda que sonha com o Senado e que a pressão que vem sofrendo não é tão grande assim, dizendo que a mídia mostrou apenas 5 mil pessoas contra ele e que o número de apoiadores é bem maior. “Eles são silenciosos, eles são pais de família que trabalham e não tem tempo para manifestações”.

Confira as fotos de Daniela com a esposa e o beijo dos famosos em protesto a Feliciano


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.