Tamanho do texto

Canal estreou no momento em que a luta pelos direitos dos homossexuais virou debate nacional, com o casamento gay sendo discutido em todo o Brasil

Foram apenas 31 dias, mas parece que foi muito mais do que isso. Em um mês de iGay no ar, os acontecimentos em torno da comunidade LGBT foram tão intensos que poderiam muito bem caber num ano inteiro. Da reação inédita do movimento gay a ascensão de Marco Feliciano na Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) ao gesto corajoso de Daniela Mercury , que assumiu seu amor por uma mulher.

Uma das nossas primeiras matérias já apontava que os temas casamento gay e a adoção por homossexuais prometiam criar uma guerra no Congresso Nacional. Exatamente um dia após a estreia do canal, isso se confirmou com a eleição de um deputado acusado de homofobia para presidência da CDHM. A presença de Marco Feliciano (PSC-SP) na comissão sacudiu o comunidade LGBT, que foi para as ruas protestar, não só com cartazes e palavras de ordem, mas também com beijaço.

Grande voz de oposição a tentativa de impedir o avanço dos direitos dos homossexuais, o deputado Jean Wyllys , colunista e editor convidado do iGay, alertou para o perigo de se tentar demonizar o modo de vida gay.

O movimento foi além da comunidade LGBT, arrebanhando os heterossexuais e artistas. O debate sobre o casamento gay, antes tímido no Brasil, ganhou fôlego e foi discutido nacionalmente.

No inicio da última semana, uma celebridade desafinou o coro pelo respeito aos direitos dos homossexuais. Para espanto geral, a cantora Joelma comparou a homossexualidade à dependência química . A declaração dela causou revolta e críticas nas redes sociais.

Mas a semana que tinha começado mal, tomou um rumo altamente positivo dois dias depois por causa de outra cantora. Daniela Mercury veio a público para assumir o seu relacionamento com uma mulher, a jornalista Malu Verçosa . A atitude corajosa da baiana mereceu aplausos de famosos e anônimos.

Um dia depois, Daniela mostrou que não estava apenas querendo exibir sua felicidade. Ela estava marcando sua posição no debate que tanto tomou o Brasil neste último mês, como deixou claro a sua declaração: "Eu comuniquei meu casamento com Malu para tratar com a mesma naturalidade que tratei outras relações. É uma postura afirmativa da minha liberdade e uma forma de mostrar minha visão de mundo. Numa época em que temos um Feliciano desrespeitando os direitos humanos, grito o meu amor aos 7 ventos. Quem sabe haja ainda alguma lucidez no Congresso Brasileiro!".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.