Tamanho do texto

Criado em 2011 com cinco amigos íntimos, hoje tem 300 participantes Para entrar, você tem de ser indicado e passar por processo de seleção

Arrigo Araujo , 27 anos, é da geração “barra” – aquela em que uma única função não descreve a atuação de seus membros. Arrigo é um deles. Produtor de casting/agitador cultural/formado em áudio visual pela USP/heavy user de internet/sempre a par das novidades/acompanhou ativamente o nascimento de várias redes sociais, criando perfis assim que elas começavam a dar sinais de sucesso/criador do grupo fechado As + Lindas do Feice, que deu origem a uma festa, um evento de carnaval e um time de vôlei.

Seu namoro com as redes sociais começou no outrora popular Orkut, onde era dono de diversas comunidades. Em setembro de 2011, já usuário do Facebook, criou um novo grupo, dessa vez fechado para alguns amigos gays, chamado “As +lindas do feice (soh vips)”.

Curta a página do iGay no Facebook

Os participantes iniciais eram cinco amigos íntimos. Hoje o “As + lindas” é composto por 300 pessoas, sete dos quais são moderadores que aprovam a entrada de novos membros. O critério? “A gente só barra se tiver alguma mágoa de alguém, desafeto mesmo, de um dos sete ou de outros participantes”, diz Arrigo.

Na entrevista que o produtor deu para o iGay , falou sobre a proposta do grupo, o sucesso fora da web e os planos para o ano.

iGay: Em que consiste o grupo “As +lindas do feice (soh vips)” ?

Arrigo Araujo: O grupo é um espaço fechado para debater de tudo, falamos de séries, da noite, festas, de polêmicas, do Feliciano. Não somos um grande grupo como o Carp Noctem (grupo gay com mais de mil usuários), que é aberto, mas isso fez com que todos se interessassem muito mais, todos participam muito. Faço parte de muito grupo que não tem postagem, debate, a maioria é assim, na verdade. O nosso é extremamente ativo, os participantes têm em média 25 anos.

iGay: E como é esse processo de ser secreto?

Arrigo Araujo: O +lindas nasceu como um grupo de amigos e em parte se mantém assim, os que participam têm que combinar, só é indicado quem vai ter opinião, que entende nosso humor. É um espaço para se debater livremente, mas confesso que na seleção das pessoas é até um pouco ditatorial: só entra se for indicado por alguém do grupo e aprovado por um dos sete moderadores. O fato de ser secreto tem a ver também com a privacidade, muita gente ali não é assumido, tem conhecidos e gente da família no Facebook e não quer se expor.

O + Lindas nasceu como um grupo de amigos e em parte se mantém assim. Novos participantes têm de combinar, só é indicado quem vai ter opinião, quem entende nosso humor.


iGay: Por que criar um grupo exclusivamente gay?

Arrigo Araujo: Não vamos negar que o Facebook é uma ótima ferramenta para se conhecer pessoas, eu mesmo uso diariamente para fazer casting (seleção de modelos, promotores, atores, etc.) Sendo gay, o grupo acabou virando mais um espaço para conhecer gente para pegar e até namorar. O grupo deu origem a outras maneiras de nos encontrar pessoalmente, como as festas, o bloco de carnaval e os jogos de vôlei.

iGay: Vocês já tiveram problemas relacionados à exposição dos participantes?

Arrigo Araujo: Sim, já pediram para apagar fotos das festas e recentemente, em uma reunião com cerca de 40 membros, fizeram uma foto com a legenda: “Somos as +lindas e Feliciano não nos representa” e alguns postaram fora do grupo. A pedidos, a foto foi apagada de certos lugares, tudo de boa. Afinal, eu tenho uma profissão mais aberta, mas tem muita gente que trabalha em empresa coxinha ou bloqueia as fotos para que a família não veja, coisas desse tipo. A maioria é a favor de se assumir, mas cada um tem seu tempo.

Fizemos uma foto de protesto, 'Somos as + Lindas e o Feliciano não nos representa´, mas a pedidos ela não foi divulgada. Tem muita gente que trabalha em empresa coxinha ou bloqueia as fotos para que a família não veja.

iGay: E como funcionam os eventos físicos do grupo?

Arrigo Araujo: A festa nasceu em dezembro de 2011, logo depois da criação do grupo, quando pensamos em nos reunir para conversar ao vivo. Um dos membros tinha um contato no (clube) Cambridge, chamamos alguns amigos que fazem festas com propostas similares à nossa e criamos a “+Linda”. O Carnalindos foi uma festa especial de carnaval, com marcinhas, axé e samba. Nosso público é mais velho, então é bom ter uma festa mais pop que fuja um pouco das baladas do gênero, que atraem o público de 17, 18 anos.

iGay: E os jogos de vôlei?

Arrigo Araujo: É um grupo dentro do grupo, desse eu não faço tanta parte, hahaha. Eles se reúnem a cada duas ou três semanas para jogar vôlei e virou um time, o Volindas. Eles estão super animados, desenharam uniforme oficial e devem se inscrever em um campeonato que acontece próximo à data da parada (que este ano acontece dia 2 de julho em São Paulo)

iGay: E o time é restrito a gays também?

Arrigo Araujo: Ele é majoritariamente gay, mas acontece de um ou outro levar um amigo hetero. Mulher nunca participou, mas acho que ninguém seria contrário.

iGay: Por se tratar de um grupo exclusivamente gay, existe algum tipo de engajamento com a causa?

Arrigo Araujo: Rolam debates, divulgamos eventos políticos e protestos, por exemplo. Mas a atuação fora dali é mais complicada, a foto contra o Feliciano não deu certo porque tinha gente que não queria se expor. Nós não forçamos nada, só apoiamos e divulgamos as causas para quem quiser sair para a rua e se posicionar.

iGay: E quais são os planos das + Lindas?

Arrigo Araújo: Continuar gerando conversas, debates, encontros, e festas. Estamos pensando na próxima edição, não sabemos se será no Cambridge ou em outro lugar. E, claro, nas próximas partidas do time de vôlei, que agora vai jogar em torneio.

Para se informar sobre as próximas edições da festa: www.facebook.com.br/baladadasmaislindas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.