Tamanho do texto

Assessoria de comunicação do município diz que está apenas estudando o material contra o preconceito do governo do Estado

A assessoria de comunicação da Prefeitura de São Paulo negou que vá adotar um kit anti-homofobia nas escolas da rede municipal, como foi noticiado nesta quinta-feira (21) pela coluna da jornalista Mônica Bergamo na “Folha de S. Paulo”.

Em conversa com a reportagem do iGay , a assessoria informou que a prefeitura está apenas estudando a grade curricular da rede estadual de São Paulo, que entre os outros conteúdos, conta com um material anti-homofobia.

Segunda a assessoria de comunicação da prefeitura, as escolas paulistanas não terão kit anti-homofobia
Getty Images
Segunda a assessoria de comunicação da prefeitura, as escolas paulistanas não terão kit anti-homofobia

A Secretaria de Educação está fazendo esse levantamento porque 11 mil professores da cidade dão aulas tanto na rede municipal quanto na estadual.

Chamado pejorativamente pelos grupos conservadores como “kit gay”, o material pretende auxiliar os educadores a lidar com as questões da homossexualidade nas salas de aula. Desenvolvido originalmente pelo Ministério da Educação, o projeto foi abandonado posteriormente por pressões políticas.

O atual prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT-SP), era ministro da Educação na ocasião. Na eleição em que o petista se elegeu para governar a cidade, em 2012, o candidato adversário José Serra (PSDB-PT) atacava Haddad, dizendo que ele pretendia distribuir o “kit gay” nas escolas. 

A polêmica se esvaziou quando foi revelado que o governo do estado de São Paulo, quando o próprio José Serra era o governador, tinha um material anti-homofobia para suas escolas.

Leia mais:
Escola é criticada por mostrar pessoas do mesmo sexo como símbolo de 'repulsão'
Homossexualidade é assunto que não existe dentro das salas de aula 

Leia mais: 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.