Tamanho do texto

Duas meninas paulistanas divertidas e ousadas, ex-namoradas e atuais melhores amigas, decidem bater papo em frente a uma câmera e, meio sem querer, conquistam legião de fâs

Roberta (de óculos) e Samantha em cena nas Dedilhadas: gravação caseira e até o quadro no fundo é de autoria da Samantha
Reprodução
Roberta (de óculos) e Samantha em cena nas Dedilhadas: gravação caseira e até o quadro no fundo é de autoria da Samantha

A história oficial é a de que elas começaram a fazer os vídeos porque entenderam que não havia nada parecido na Internet. Ou seja: a rede estava carente de lésbicas dispostas a mostrar o rosto e falar a respeito dos bastidores da vida de mulheres que amam mulheres e elas deram um passo à frente.

Essa é a versão certinha. Mas vamos à outra, nem tão politicamente correta – embora muito honesta e, por isso, melhor ainda.

Roberta e Samantha no traço de Samantha, que criou as
Reprodução
Roberta e Samantha no traço de Samantha, que criou as "Tirinhas Fanchas" e a série "Ser Sapa É..."

Samantha estava solteira, não conseguia conhecer ninguém interessante e numa noite qualquer pensou: e se chamasse a Roberta pra gente fazer uns videos aí, falar do nosso dia-a-dia, dizer quem somos? Será que assim apareceria alguém interessante na minha vida? Era agosto de 2010.

Roberta, a ex-namorada com potencial para ser melhor amiga, um velho clichê do universo lésbico, ficou interessada. Depois de quase cinco anos de namoro, as duas andavam afastadas e encontraram aí uma oportunidade para voltar a se frequentar. Mas entre a ideia e a realização se passou um ano. E não era exatamente que elas estavam fazendo um planejamento estratégico, preparando um business plan ou coisa parecida: apenas iam deixando para lá, como se a recém-resgatada amizade fosse o objetivo final. Até que um dia, entediada, Samantha ligou para Roberta e disse: “Vem pra minha casa que vamos fazer o vídeo hoje”.

Como cenário, Samantha improvisou um fundo com um quadro de sua autoria. Depois, deram uma ajeitada na roupa, outra no cabelo e, em frente da câmera de video, começaram a bater um papo como tantos outros que já tinham batido. Assim que terminaram, Samantha deu uma rápida editada, subiram o video no Youtube e foram tomar uma cerveja, completamente alheias ao fato de que, naquele exato instante, a vida estava mudando. Foi assim, do jeito mais casual possível, que Samantha Reis , 31, e Roberta Salles , 37, descobriram um novo caminho.

UM VIDEO LEVOU A OUTRO, E A MAIS OUTRO

“A gente não sabia que a resposta seria tão rápida e positiva”, contou Roberta quando nos encontramos para um café no Sebo que a mãe de Samantha tem em Pinheiros. “Sou muito tímida, nem sei como consegui fazer isso”, emendou Samantha. “Tem vídeos em que a Roberta fica falando de sexo, de transa, e eu quero me enfiar debaixo da mesa”. Roberta, jornalista e a mais extrovertida da dupla, gosta de provocar a ex e muitas vezes entra em assuntos mais polêmicos apenas para vê-la corar.

Despretensiosamente, um vídeo levou a outro, e a mais outro, e, como havia a boa resposta da audiência, que passou a sugerir pautas, pedir conselhos e a elogiar a iniciativa, a muitos outros. “Até hoje, 100 vídeos depois, a gente só foi agredida verbalmente uma vez. Um comentário babaca, mas nem precisamos responder porque outras pessoas entraram nos comentários e responderam”, disse Roberta.

Formada em Radio e TV na FAAP, Samantha conseguiu, através da edição e meio sem querer, dar aos vídeos uma cara divertida e leve, o que explica boa parte do sucesso. A outra parte está no fato de as duas se comportarem em frente à webcam da forma mais casual e natural possível. Como no mundo anda faltando bom-humor e naturalidade, o dueto rapidamente conquistou o universo lésbico. O resultado é que começaram a ser chamadas para tocar em festas, e, com isso, hoje conseguem até ganhar uma graninha. Além da discotecagem que fazem juntas, gastam o tempo com as respectivas namoradas e bolando dar nova vida ao "Dedilhadas", nome da iniciativa e que foi criado no susto, minutos antes do primeiro “gravando” do vídeo inaugural.

VOCÊ NÃO É A MENINA DO DEDILHADAS?

Recentemente, coisas inusitadas começaram a acontecer. Há algumas semanas, Samantha estava com a mãe em um consultório médico esperando para ser atendida quando uma das enfermeiras olhou para ela e perguntou: “Você não é a menina do Dedilhadas?”. Samantha corou e balançou a cabeça positivamente. “Claro que um pouco foi por causa da minha mãe, mas esse nem era o problema, até porque minha família sabe faz um tempo que sou gay, embora não soubesse ainda do Dedilhadas [risos]. Em casa, são todos muito na boa com isso. Acho que o que pega é a timidez mesmo”.

Apesar da rápida fama que conquistaram, talvez tenham deixado o melhor rastro quando lançaram o vídeo “A Banda Mais Sapata da Cidade”, uma paródia de outro que fez enorme sucesso na rede, o da música “Oração”, feito por “A Banda Mais Bonita da Cidade”, e que já tem quase 12 milhões de acessos. Com a ajuda de muitas amigas na gravação e participação especial, e das "sapatômicas", do site Sapatomica.com, fizeram a letra (cheia de referências debochadas aos maiores clichês lésbicos), invadiram a casa do irmão de Samantha, que estava viajando, e gravaram. O vídeo tem mais de 150 mil visualizações e já foi acessado em 100 países, incluindo Arábia Saudita.

Prestes a lançar novo site para o Dedilhadas, e voltando de uma rápida interrupção na gravação dos vídeos – tempo que tiraram para planejar melhor o futuro, já que o sucesso as pegou de surpresa – as duas amigas vão abrindo, com criatividade e bom humor, um novo caminho para esse universo lésbico, tão pouco comentado na mídia. Entre papos de botequim, alguns protestos divertidos, projetos para novas paródias musicais, discussões a respeito de sexo, um pouco de politicagem e até dica de preparação de farofa as meninas do Dedilhadas vão mostrando ao mundo como a vida de mulheres que amam mulheres é apenas banal e natural; tão sofrida e divertida como qualquer outra. É mesmo essa a melhor forma de acabar com o preconceito, uma gargalhada por vez.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.