Tamanho do texto

Mister Brasil fala sobre sexo, vaidade, trabalho e suas paixões. Ele também diz não se achar bonito - "sou um cara normal" - mas prova o contrário em ensaio para as lentes do iGay

“O público gay me acolheu de uma maneira muito estrondosa. Nunca imaginei que ia ter esse sucesso
André Giorgi
“O público gay me acolheu de uma maneira muito estrondosa. Nunca imaginei que ia ter esse sucesso"

Em 2011, Lucas Malvacini conquistou a faixa de Mister Brasil, se tornando um dos homens mais cobiçados do País. Ninguém poderia dizer, no entanto, que este mineiro tímido, de Juiz de Fora, sofreu bullying durante a adolescência, quando seu apelido era Choquito Branco e ninguém reparava nele. “Eu era muito feio”, diz. As coisas mudaram quando Lucas resolveu fazer um tratamento pra se livrar das espinhas e pegar pesado na academia para, mais tarde, virar o terror de sua cidade, e iniciar a carreira de modelo.

Lucas Malvacini: Mister Brasil 2011 garante que era feio e cheio de espinhas na adolescência
André Giorgi
Lucas Malvacini: Mister Brasil 2011 garante que era feio e cheio de espinhas na adolescência

Depois de desfilar em alguns eventos de moda em Minas Gerais, Lucas foi descoberto por olheiros e partiu para Milão, onde tentou emplacar nas passarelas. Também trabalhou no Chile, mas voltou para o Brasil, onde recebeu o título e passou a fazer sucesso. Atualmente, ele mora com dois amigos também modelos em São Paulo, trabalha e quer juntar dinheiro para estudar dramaturgia e viajar pelo mundo.

Hoje, apesar de ser um Mister, Lucas conta que ainda sofre preconceito nas agências e já saiu de muitos testes sendo chamado de “michê” e “go-go boy”. “Dentro da moda existe muito preconceito com caras sarados, porém essa é a moda que a gente gosta de ver”, explica.

Com seus 1,83m, 79kg e os músculos muito bem definidos, Lucas acabou fazendo sucesso com o público gay, fato que ele não esperava, nem de longe. “A maneira que tenho de retribuir esse sucesso é tendo carinho”, diz.

Prestes a posar para o ensaio exclusivo que ilustra esta matéria, em um hotel na capital paulista, Lucas garantiu que tem a mente aberta quando o assunto é diversidade sexual. “Eu abraço mesmo a causa”, afirma. Mas, para não deixar dúvidas, logo explica: “quem me conhece sabe minha orientação: sou hétero.”

Leia a seguir trechos do bate-papo com Lucas Malvacini, onde ele fala sobre vaidade, conta como foi sua primeira vez aos 12 anos e se intitula um cara “de escorpião” na hora do sexo. Ele também revela em primeira mão que está fora do mercado: “Estou namorando uma menina da minha cidade, uma paixão antiga que voltou.”

Sucesso com o público gay
“O público gay me acolheu de uma maneira muito estrondosa. Nunca imaginei que ia ter esse sucesso tão grande como estou tendo. A maneira que tenho de retribuir é tendo carinho. Tenho a mente aberta, no sentido de que respeito completamente o universo gay, assim como eles me respeitam e sabem da minha posição. Eu abraço mesmo a causa.”

Sexualidade
“Comecei a fazer sucesso com o público gay depois do Mister, mas nunca passei por uma saia justa. Algumas situações engraçadas, mas nunca maldosas. Por exemplo: há pouco tempo fiz presença numa balada em Belo Horizonte. No meio da festa, me anunciaram e abriram pra quem quisesse fazer pergunta. Um cara me perguntou qual é a minha orientação sexual. Pra não deixar ninguém desapontado, deixei uma esperança. Disse que essa é uma pergunta que eu gostaria de responder, mas se eu respondesse o encanto seria quebrado (risos). Mas quem me conhece sabe a minha orientação: sou hétero.”

Vaidade
“Eu era muito feio. Pra você ter noção, meu apelido era ‘Choquito Branco’ de tanta espinha que tinha. Eu tive que fazer tratamento com Roacutan e só depois disso as meninas repararam em mim. ‘Até que você é bonitinho então’ (risos). Eu tinha noção de que não era bonito. Nem hoje, na verdade. Eu particulamente não me acho bonito. Me acho meio baixo... Sou um cara normal, um cara esforçado.”

Lucas Malvacini em ensaio exclusivo para as lentes do iGay
André Giorgi
Lucas Malvacini em ensaio exclusivo para as lentes do iGay

Primeira vez
“Perdi a virgindade quando eu tinha 12 anos. Foi com uma moça que trabalhava em casa pra minha família. Ela tinha 19 anos e foi contratada pra cuidar do meu irmão mais novo. Foi engraçada a situação porque os dois eram virgens, mas ninguém queria assumir que era.”

Moda x comercial
“A diferença entre moda e comercial é gritante, ainda mais para um Mister. Na minha opinião, dentro da moda existe muito preconceito com caras sarados, porém essa é a moda que a gente gosta de ver. Ninguém quer ser o cara magro da revista de moda. Neste sentido existe uma contradição muito grande no universo da moda. Quem faz desfile são os caras altos e magros, mas quando um comercial faz sucesso estoura no mundo inteiro. Várias agências de São Paulo, mesmo depois do Mister, me dão ‘não’. E um ‘não’ com arrogância: ‘esse não é o perfil de modelo. Você não é modelo, você é michê, go-go boy.’”

Fora do mercado
“Estou namorando uma menina da minha cidade, uma paixão antiga que voltou. Quando a gente se conheceu eu tinha 18 anos, estava iniciando esse processo de mudança da minha vida. A gente conversava muito. Ela era minha melhor amiga no MSN quando eu estava na Europa. Eu falava dos meus perrengues e ela me dava força. Mas da metade do caminho pra frente virou namorada. Ela gosta de mim como Lucas Lucas, e não como Lucas ‘personalidade’.”

Sexo
“Eu sou um cara de escorpião (risos). Eu sou intenso, me jogo de cabeça nas minhas relações. Acho que no relacionamento entre um homem e uma mulher, e também entre dois homens, o sexo é importante. Você tem que ter uma saúde sexual muito bem defincida e aberta pra não cair no desejo de trair, pular cerca...”

Lucas Malvacini: Eu sou um cara de escorpião (risos). Eu sou intenso, me jogo de cabeça nas minhas relações
André Giorgi
Lucas Malvacini: Eu sou um cara de escorpião (risos). Eu sou intenso, me jogo de cabeça nas minhas relações"

Ponto fraco
“Uma bunda me excita muito, e um peito grande também. Hoje tenho me excitado bastante com peito grande e barriga reta. É complicado falar (risos).”

Ensaios sensuais
“Ser sexy não é ser vulgar. É conseguir despertar possibilidades. É mexer com a mente da pessoa e ir além. Sempre que eu fotografo, por mais que a posição não seja insinuante, talvez a energia chega no olhar, não sei explicar. Sempre que faço uma foto sexy, tento passar pra quem está vendo algo que desperta uma atração em algum canto do corpo.”

“Uma bunda me excita muito, e um peito grande também
André Giorgi
“Uma bunda me excita muito, e um peito grande também"

Vale tudo
“Tudo é muita coisa. Eu sou tranquilo com sexo. Eu faço de tudo com ela, mas não deixo que ela faça tudo comigo (risos).”

Válvula de escape
“Adoro viajar, conhecer lugares, experiências e sensações novas. Sempre que tenho oportunidade, vou para algum lugar e tento sugar o máximo que consigo daquela cultura. Além disso, gosto muito de correr. Quando estou muito estressado eu corro. Gosto de ler também, especialmente sobre metafísica e alguns romances espíritas. Agora estou querendo ler Nietzsche e Freud pela parte de construção de ator.”

LUCAS MALVACINI

Se fosse um personagem da ficção: Professor Xavier, do X-Men
Algo que ninguém sabe sobre você: eu assalto a geladeira toda madrugada
Um sonho de infância: pilotar um avião
Um prato que não dispensa: macarronada
Um vício: jogar FIFA 3 no PlayStation 3
Um gadget: iPhone
Um item essencial do guarda-roupa: gola V
Uma paisagem inesquecível: Lago Vichuquen, no Chile
Uma lembrança da infância: quando quebrei a perna
A última vez que chorou: ontem, vendo novela com saudade de casa

Leia mais no iGay:
130 mil estão usando o Grindr no Brasil
Fuja de ciladas na hora de se encontrar com alguém do Grindr

Locação: Hotel Holiday Inn Parque Anhembi
R. Prof. Mílton Rodrigues, 100 - Santana São Paulo,
CEP: 02009-040
Tel:(11) 2107-8844

Beleza: Stefanny Porfirio 

Tel: (011) 97092-0797

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.