Tamanho do texto

Usuários dão dicas de como evitar situações constrangedoras e criar um perfil interessante

“Eu já fui a um encontro com uma pessoa com quem conversava há um mês no Grindr. Quando cheguei ao local, além do cara não ser nada parecido com a foto do perfil, ele na verdade queria tentar me vender produtos para emagrecer”, conta L.F., de 22 anos, que prefere não se identificar. “Foi uma situação extremamente constrangedora”, completa

Para criar mais interesse nos outros usuários, preencha seu perfil com o máximo de informações
Divulgação
Para criar mais interesse nos outros usuários, preencha seu perfil com o máximo de informações

Para ajudar você a fugir de roubadas deste tipo, o  iGay conversou com alguns usuários do Grindr para saber quais as táticas que eles usam para se sair bem no aplicativo. Os cuidados começam desde o momento em que você instala o programa. Veja alguns conselhos:

1. Use uma foto de seu rosto. Paisagens e bichinhos podem ser fofos, mas ninguém quer sair com um deles;

2. Preencha seu perfil com o máximo de informações sobre você, como idade, etnia, altura e interesses. Isso aumenta as chances de alguém entrar em contato;

3.  Não minta na descrição. Se você tem 1,60m, como irá ao encontro de alguém que acha que você tem 1,85m?

4.  Não se assuste com a quantidade de fotos de abdomens e bíceps que você encontrará nos perfis. “O meu primeiro pensamento quando instalei foi: ‘Preciso aumentar o peso na academia’", brinca Bruno Larios, de 26 anos.

5.  Mantenha a simplicidade na hora de abordar alguém. “Muita gente já vem com perguntas pesadas. Para mim, espero apenas um ‘Oi! Tudo bem?’”, conta o analista de marketing Guilherme Vilela, de 25 anos.

Encontros

Quando o dedo cansa de digitar é preciso levar a conversa do Grindr para a vida real. Porém, antes de marcar encontros com todos os usuários que lhe agradam, tome alguns cuidados para não cair em ciladas.

Bruno Larios não vê problema em namorar alguém do Grindr. “Não importa onde você conheceu a pessoa se, de fato, existir sentimento”, diz
Arquivo pessoal
Bruno Larios não vê problema em namorar alguém do Grindr. “Não importa onde você conheceu a pessoa se, de fato, existir sentimento”, diz

1.  Procure saber se vocês têm gostos em comum antes de se encontrar. Desta maneira, você evita algumas horas de silêncios constrangedores e conversas sobre o clima;

2.  Peça mais fotos. Lembre-se, mais vale uma foto com o rosto aparente do que várias fotos com boné e óculos escuros;

3.  Marque encontros em lugares movimentados. “Eu sempre procuro me encontrar em um lugar público para evitar ser sequestrado, estuprado ou algo do tipo”, afirma Denis Silvestre. Parece exagero, mas não há garantias de que a pessoa tem as mesmas boas intenções que você;

4.  Não gostou da outra pessoa? O ideal é que você seja sincero, mas não se force a ficar com alguém por não conseguir sair da situação. Neste caso, o jeito é apelar para a desculpa. “Eu já deixo avisado que talvez eu saia mais cedo para buscar minha irmã na casa da amiga. Eu nem tenho irmã”, diz L. F.

5.  Caso o encontro seja melhor que o esperado, não tenha medo de se entregar para algo mais sério. “Não importa onde você conheceu a pessoa se, de fato, existir sentimento”, diz Bruno Larios.

Guilherme Vilela optou por usar um aplicativo específico para
Arquivo pessoal
Guilherme Vilela optou por usar um aplicativo específico para "ursos", o Growlr

Público específico

Uma alternativa para facilitar a sua busca por um novo parceiro é baixar aplicativos que sejam voltados para um público específico do qual você faz parte ou se interessa. É o caso do analista de marketing Guilherme Vilela, de 25 anos, que optou por usar o Growlr, um aplicativo específico para quem é ou gosta de “urso”, uma comunidade LGBT para gays que, em sua maioria, têm pêlos no corpo, barba e, em alguns casos, estão acima do peso.

“Não me sentia muito confortável no Grindr. O povo escancarava o abdômen e eu, com meu bom senso, não queria mostrar minha barriga de urso. A galera de lá não fazia meu tipo e nem eu o deles”, explica o analista de marketing.

Quando perguntado se já sofreu algum tipo de preconceito em aplicativos que são voltados para o público gay em geral, Guilherme revela: “Preconceito é pesado, mas ja ouvi uns ‘sai pra lá, gordo’, ‘gosto de lisos’”.

Você já passou por alguma situação inusitada em aplicativos como o Grindr? Mande um e-mail para siteigay@ig.com.br

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.